UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

02/04/2006 - 14h57

Insetos prestam serviços avaliados em bilhões de dólares

Orlando Lizama
Washington, 2 abr (EFE).- Os insetos podem ser nocivos e
transmitir doenças, mas especialistas destacam que antes de
esmagá-los é preciso pensar duas vezes.

Os mosquitos e baratas, entre outros insetos, prestam serviços
que só nos Estados Unidos são calculados em nada menos que US$ 57
bilhões, segundo um estudo publicado pela revista "BioScience".

O exemplo clássico é o da abelha que distribui o pólen e ajuda na
reprodução das espécies vegetais, além de fabricar mel, alimento
importante para seres humanos e animais.

Há também o bicho-da-seda, que fornece tecido para o homem desde
tempos imemoráveis.

Segundo o estudo, existem outros insetos ainda mais importantes
que não lembram as imagens floridas das abelhas.

"A maioria dos insetos realiza de maneira incansável funções para
melhorar o ambiente e nossa vida de formas que só agora os
cientistas começaram a compreender", destaca o entomologista da
Universidade de Cornell John Losey, principal autor da pesquisa.

O besouro-do-esterco, por exemplo, reduz o efeito dos parasitas
no gado, torna o pasto mais digerível e libera o nitrogênio do
estrume que aduba as plantas.

Os autores do estudo calculam que o valor dos insetos no que se
refere ao controle de pragas chega a US$ 4,5 bilhões por ano.

Os polinizadores, especialmente as abelhas, são responsáveis pela
produção natural de frutas e vegetais no valor de mais de US$ 3
bilhões anuais nos EUA.

Os insetos também representam um recurso fundamental para
atividades como caça, pesca e observação da vida animal, incluindo o
ecoturismo, que chegam a US$ 50 bilhões, de acordo com o estudo.

Segundo Losey e Mace Vaughan, da Sociedade Xerces de Conservação
de Invertebrados, sua avaliação sobre os benefícios que os insetos
proporcionam é "bastante conservadora", e destacam que é apenas uma
fração do número total.

A pesquisa não inclui outros serviços importantes prestados pelos
os insetos, como a decomposição de matéria orgânica, lixo e árvores
(o que reduz o perigo de incêndios), a produção de mel, de tintas e
de outros produtos usados na medicina ou como fonte de alimento para
os animais.

"Os insetos são parte integral de uma complexa rede de interação
que cria o alimento que levamos à mesa e que elimina nossos
resíduos", disse Vaughan.

Segundo Losey, "os insetos somam um grande valor à economia, mas
as pessoas não se dão conta disso".

Os cientistas sugerem que seu estudo, que é o primeiro deste
tipo, justificaria um investimento anual de milhões de dólares para
proteger os insetos.

Além disso, recomendam que os recursos dedicados à conservação
prestem atenção especial aos insetos e ao papel que desempenham nos
ecossistemas.

"Quando se considerar a doação de recursos à conservação, ou o
controle do habitat natural, devemos pensar neste valor para
assegurar que os insetos continuem desempenhando sua tarefa
benéfica", disse Losey.

O cientista afirmou que os insetos são cruciais para a economia
de qualquer país, e é necessário protegê-los.

"Sabemos como reparar os caminhos e outros componentes de nossa
estrutura física, mas nossa infra-estrutura biológica também é
vulnerável", acrescentou.

Hospedagem: UOL Host