UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

09/06/2010 - 12h47

Bebê atacada por raposa se recupera, mas irmã continua em estado grave

  • PA

    Mãe das gêmeas encontrou as filhas já cobertas de sangue

Uma das gêmeas de nove meses de idade atacadas por uma raposa dentro de sua casa, em um bairro do leste de Londres, "está bem melhor", de acordo com o tio das meninas.

"As gêmeas estão melhorando e Lola está bem melhor", afirmou David Watson, acrescentando que os ferimentos vão deixar marcas para a vida inteira, já que a raposa mordeu as duas bebês nos braços e uma delas, Lola Koupparis, no rosto.

Segundo a avó das duas, Zoe Koupparis, a outra menina, Isabella, que foi transferida para o Great Ormond Street Hospital, especializado em crianças, continua sedada e seu estado é preocupante.

"Era algo que eu jamais esperava que fosse acontecer, menos ainda com minhas lindas meninas", disse Pauline Koupparis à BBC.

Na noite do último sábado, a raposa entrou na casa por uma porta dos fundos que estava aberta no andar térreo por causa do calor, antes de atacar as bebês no quarto, no segundo andar.

Pauline, que assistia à TV com o marido na hora do ataque ouviu um choro que "parecia ser de dor" e quando entrou no quarto das filhas viu as duas cobertas de sangue e uma raposa, que ficou olhando para ela "e nem parecia sentir medo".

Pauline disse que Lola estava em um estado "terrível". "Um lado do rosto dela estava lindo. O outro, era algo como um filme de terror", disse.

Mas ela comentou que apesar do ataque, a bebê está "sorrindo e rindo para as pessoas".

"Isabella está em atendimento especial. Ela não está tão bem", acrescentou.

Praga
A subprefeitura da região de Hackney, onde o ataque ocorreu, distribuiu panfletos alertando os moradores para os perigos das raposas.

Em uma entrevista à BBC, o prefeito de Londres, Boris Johnson, orientou as subprefeituras a assumir a responsabilidade de evitar uma praga de raposas na cidade.

Especialistas estimam que cerca de 10 mil raposas vivem na capital britânica e dizem que os animais se adaptaram bem à vida urbana durante os últimos 50 anos, por encontrar bastante comida nos lixos e abrigo nos jardins e outros locais abertos.

"Muitas pessoas ficam maravilhadas com raposas circulando pela cidade, achando a situação romântica, mas existe o lado negativo: elas são pragas, causam muitos estragos e vimos os trágicos eventos dos últimos dias", afirmou Johnson.

Uma pesquisa realizada em 2001 pela ONG Mammal Society revelou que 80% dos londrinos gostam da presença das raposas na cidade.

A RSPCA, sociedade britânica de proteção dos animais, disse que ataques de raposas a humanos são bastante raros.

Potenciais rivais
Em uma entrevista ao website Sky News Online, o especialista em vida selvagem nas cidades John Bryant disse acreditar que a raposa que atacou as gêmeas era um filhote de cerca de três ou quatro meses de idade, que foi atraído pelo cheiro de comida nas fraldas das bebês.

Segundo Bryant, a raposa pode ter tentado arrancar a fralda de uma delas e achou que a menina estava a impedindo.

"Acho que a raposa abocanhou a fralda achando que era comida, não conseguiu retirá-la por entre as barras do berço e lutou com o que viu como um rival pela fralda", disse Bryant.

O especialista afirmou que muitas vezes as raposas retiram fraldas de latas de lixo achando que são comida.

Após o ataque, responsáveis pelo controle de pragas colocaram armadilhas no jardim da casa das gêmeas e apanharam uma raposa, que foi sacrificada por um veterinário na segunda-feira.

Hospedagem: UOL Host