UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

26/06/2006 - 14h25

Cientistas descobrem serpente "camaleoa" na Indonésia

Genebra, 26 jun (EFE).- O Fundo Mundial para a Natureza (WWF) informou hoje que descobriu um novo tipo de serpente que possui a habilidade de mudar espontaneamente de cor na floresta tropical indonésia do Coração de Bornéu, o que para a comunidade científica ainda é um fenômeno inexplicável.

"Encontrar a serpente 'camaleoa' no mais profundo do Coração de Bornéu revela um dos segredos mais bem guardados da natureza. Sua habilidade de mudar de cor a mantinha oculta da ciência até hoje", afirmou o coordenador internacional do programa do WWF na região, Stuart Chapman.

A capacidade de mudar a coloração da pele é conhecida em alguns répteis, como o camaleão, mas tinha sido observada raramente em serpentes como esta. Essa espécie foi batizada como "serpente do barro de Kapuas", devido ao local em que o cientista alemão Mark Auliya encontrou o espécime.

O cientista capturou duas serpentes venenosas na região pantanosa das florestas adjacentes ao rio Kapuas, na Indonésia, onde o WWF apóia um trabalho de conservação ecológica. Auliya observou a mudança da pigmentação em uma das duas espécies.

"Coloquei a serpente de cor marrom avermelhada em um cubo escuro.

Quando a peguei, minutos mais tarde, ela estava quase que inteiramente branca", afirma o especialista em comunicado de imprensa divulgado pelo WWF em Genebra.

O gênero "Enhydris", o mesmo deste réptil, agrupa 22 tipos de espécies, dos quais apenas dois são comuns. O restante possui uma variedade descrita pela associação como "muito limitada".

A descoberta desse novo tipo de serpente, que os cientistas consideram exclusiva das margens do rio Kapuas, eleva para 361 o número de espécies animais e vegetais encontradas nos últimos dez anos em um território que é o dobro do território da Alemanha.

No entanto, os especialistas advertem que a extensão florestal da ilha de Bornéu diminuiu 75% desde meados dos anos 80. Por isso, o habitat dessa serpente está "ameaçado".

Os três Governos da ilha (Malásia, Indonésia e Brunei) lançaram a iniciativa "Coração de Bornéu" em março, com o objetivo de preservar o local, um dos centros de diversidade biológica mais importantes do mundo. O WWF espera que projetos como este contribuam para reverter a anunciada tendência de destruição do meio ambiente.

Hospedagem: UOL Host