UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

04/07/2007 - 12h08

OMS: Mudança climática afetará mais a saúde de cidadãos de países pobres

Kuala Lumpur, 4 jul (EFE) - A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou hoje que a saúde dos cidadãos dos países pobres pode sofrer em maior medida os efeitos da mudança climática, como enchentes e ondas de calor.

O coordenador do Departamento do Meio Ambiente e Saúde Pública da OMS, Carlos Corvalan, disse à Efe que na Ásia muitas das regiões mais pobres têm uma localização geográfica que será mais afetada pelas mudanças do clima e que as infra-estruturas destas nações no meio rural e urbano estão menos preparadas.

"As inundações em cidades com uma canalização deficiente podem gerar focos de água estagnada, onde proliferam os mosquitos transmissores de doenças como dengue e malária", disse Corvalan.

O coordenador participa do segundo Seminário sobre Mudança Climática e Saúde nos Países do Sudeste e Leste Asiático, organizado pela OMS na capital da Malásia, Kuala Lumpur, entre 2 e 5 de julho.

O especialista afirmou que as secas podem provocar uma migração em massa em direção às cidades, o que saturaria o sistema de saúde, e as ondas de calor poderiam estender o habitat dos mosquitos transmissores do vírus da malária, causando o aumento de infecções.

As ondas de calor causam muitas mortes diretas, como demonstram as 70 mil mortes causadas pelo fenômeno que castigou a Europa em 2003, lembrou Corvalan, afirmando que agora os países perceberam que o aquecimento global não afeta apenas a agricultura e a economia, mas principalmente a saúde.

A OMS alertou para o transbordamento dos lagos no Nepal devido ao degelo das geleiras do Himalaia, para a proliferação da malária no Butão e em Papua Nova Guiné e para um aumento das inundações na Índia.

Participam do seminário, que termina na quinta-feira, responsáveis de saúde de 17 países, como China, Camboja, Índia, Japão, Malásia e Paquistão.

O objetivo do evento é discutir e apontar estratégias para prevenir os efeitos da mudança climática na saúde dos cidadãos destas nações.

O diretor regional para a Ásia-Pacífico da OMS, Shigeru Omi, disse que a Malásia e os países do Sudeste Asiático devem calcular o desenvolvimento econômico e a conservação do meio ambiente.

Em sua opinião, os cidadãos têm consciência dos assuntos ambientais, mas infelizmente estão mais preocupados com o desenvolvimento econômico. "Caso continuem focados exclusivamente no lucro econômico, a terra sofrerá", afirmou Omi.

Hospedagem: UOL Host