UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

13/11/2007 - 17h43

Rússia e Ucrânia criam grupo de trabalho para conter catástrofe ecológica

Moscou, 13 nov (EFE).- Rússia e Ucrânia acertaram hoje a criação de um grupo de trabalho para retirar as mais de mil toneladas de óleo combustível derramadas no mar por um petroleiro russo.

O acordo foi firmado nesta terça-feira, na cidade russa de Anapa (Mar Negro), pelos primeiros-ministros russo, Victor Zubkov, e ucraniano, Viktor Yanukovich, que serão os que presidirão a força-tarefa, segundo as agências russas.

O grupo de trabalho, que vai ter duas sedes - os portos de Kavkaz (Rússia) e Kerch (Ucrânia) -, fará sua primeira reunião amanhã ou na quinta-feira.

Zubkov, que viajou para a região do desastre por ordem do presidente russo, Vladimir Putin, disse que, agora, "o importante" é "retirar o óleo combustível" e acabar com o vazamento.

Segundo o Ministério de Situações de Emergência da Rússia, mais de 1.700 toneladas de resíduos já foram recolhidas da região do estreito de Kerch, que separa os mares Negro e Azov e que é compartilhado por Rússia e Ucrânia.

Dos trabalhos de limpeza participam cerca de mil de pessoas, entre marines e socorristas do ministério russo.

Além disso, hoje começaram a ser extraídas as mais de duas mil toneladas de óleo combustível ainda armazenadas dentro do petroleiro "Volganeft", partido ao meio na madrugada de sábado para domingo devido às fortes chuvas que atingiram a região.

Os ecologistas já começaram a falar de milhares de aves mortas, enquanto as autoridades já se referem ao vazamento como uma "catástrofe ecológica" e estimaram o prejuízo decorrente do acidente em mais de US$ 100 milhões.

Além do óleo combustível, cerca de sete mil toneladas de enxofre também vazaram para o mar da região do estreito de Kerch depois do naufrágio de outros dois cargueiros.

A este respeito, o subdiretor do departamento russo de defesa do meio ambiente, Oleg Mitvol, disse que não está descartado registro de "chuva ácida".

Hospedagem: UOL Host