UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

13/12/2007 - 08h29

OMS adverte sobre efeitos de mudança climática para saúde humana

Nusa Dua (Indonésia), 13 dez (EFE).- A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou hoje em Bali para os efeitos da mudança climática sobre a saúde humana e calculou que 150 mil pessoas morreram devido aos efeitos do aquecimento global desde meados dos anos 70 até 2000.

A OMS apresentou hoje em Bali um estudo sobre saúde e mudança climática, em paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática.

A diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS, a espanhola María Neira, expôs várias razões que relacionam os efeitos da mudança climática e a saúde.

Ela afirmou que a saúde humana é um dos "setores" afetados por este fenômeno global e que os impactos dessa vulnerabilidade já são percebidos atualmente.

Neira citou as mortes atribuídas às ondas de calor na Europa e a antecipação das estações de polinização no hemisfério norte e próximo à linha do Equador.

A espanhola disse que muitas doenças são especialmente sensíveis às condições meteorológicas e afirmou que a malária, a diarréia e a desnutrição deixam mais de 3 milhões de mortos a cada ano.

Também advertiu que os efeitos não são eqüitativos e que os riscos para a saúde afetam principalmente os países mais pobres.

Além disso, Neira afirmou que os riscos tendem a crescer à medida que a temperatura aumentar.

Segundo a diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS, a maioria dos impactos da mudança climática sobre a saúde humana pode ser controlada através de atuações voltadas para a redução das emissões em setores como transporte e gestão de água.

O relatório apresentado em Bali enumera os principais riscos em cada região e cita o aumento da desnutrição na África como conseqüência da diminuição das colheitas.

Na Ásia aumentará a mortalidade associada a algumas doenças devido às mudanças nos ciclos de água.

Quanto à Europa, os riscos aumentarão por causa das ondas de calor e dos incêndios florestais.

Na América Latina crescerá a fome devido à menor produção, e na América do Norte a freqüência, a intensidade e a duração das ondas de calor ficarão maiores.

Hospedagem: UOL Host