UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

30/01/2008 - 12h01

Termina operação de recaptura de dois tigres em Portugal

Azambuja, Lisboa, 30 jan (Lusa) - A operação para recapturar dois tigres que fugiram de uma jaula do circo Chen nesta quarta-feira, na zona da Azambuja (a 40 quilômetros ao norte de Lisboa), terminou cerca de cinco horas depois de ter começado com a retirada de um dos animais sedado do local onde acabou encurralado.

O animal foi retirado do local onde desde o início da manhã estava encurralado por elementos do circo Chen dentro de uma jaula coberta por um pano preto depois de ter sido sedado, disse aos jornalistas o major Jorge Amado do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da Guarda Nacional Republicana (GNR).

Os dois tigres fugiram por volta das 6h30 (4h30 de Brasília) de uma jaula transportada por uma van do circo Chen, que se encontrava com problemas na Estrada Nacional 3, na zona da Azambuja, tendo um dos animais sido capturado por volta das 8 horas (10h de Brasília).

O outro, que na fuga se feriu em arame farpado, ficou encurralado em local inacessível, tendo sido necessário sedá-lo para o poder retirar.

De acordo com o major Jorge Amado, foi necessário fazer dois disparos - um numa pata dianteira e outro np quadril - para conseguir adormecer o animal que tinha ferimentos leves e estava muito estressado.

O responsável do SEPNA justificou a demora para capturar o segundo tigre com a necessidade de "fazer as coisas com calma" quando se trata deste tipo de animal.

Explicou que a arma utilizada era da equipe do Instituto de Conservação da Natureza (ICN) e o tranqüilizante foi cedido pelo Jardim Zoológico de Lisboa, mostrando-se satisfeito por não ter sido necessário abater o animal.

"As coisas correram bem porque se tivesse vindo para a estrada teria que ser abatido", disse.

O major Jorge Amado esclareceu que os disparos foram efetuados por um elemento da equipe do SEPNA, contrariando informação anteriormente divulgada à agência Lusa pelo representante da Proteção Civil da Câmara da Azambuja, que afirmou ter sido um funcionário da prefeitura o autor dos disparos.

O responsável do SEPNA considerou ainda não ser muito normal "ficarem abandonados animais deste tipo", reafirmando que a situação vai ser averiguada.

O dono do circo Chen, Miguel Chen, disse à Lusa que os dois tigres fugiram porque a jaula foi aberta por alguém que "sabia que os animais estavam lá dentro".

Miguel Chen explicou que o carro quebrou na noite de terça-feira e foi rebocado, mas a jaula com os tigres teve de ficar no local.

Segundo Miguel Chen, a pessoa que ficou a guardar os animais foi hoje de madrugada ao Cartaxo buscar água para lhes dar e quando voltou as portas estavam abertas.

Acrescentou que na jaula havia seis tigres, mas que apenas dois escaparam.

Para o major Jorge Amado, o circo devia ter duas pessoas no transporte dos animais para que não ficassem sozinhos e ter tranqüilizantes para usar na sua captura, contudo ressalvou que a existência de sedativos não é obrigatória por lei.

Adiantou que a legislação nesta matéria será revista em breve e mostrou-se esperançoso que venha a prever a obrigatoriedade da existência de tranqüilizantes para os proprietários destes animais.

A operação de captura dos dois tigres envolveu 20 militares do destacamento da GNR de Alenquer, cinco elementos do SEPNA, três da Equipe de Proteção e Florestas, oito viaturas da GNR, para além de cerca de uma dezena de membros do circo Chen e quatro elementos da Proteção Civil da Azambuja.

Hospedagem: UOL Host