UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

09/06/2005 - 10h00

Redes de pesca matam mil mamíferos marinhos por dia, diz WWF

Por Ed Stoddard

JOHANESBURGO (Reuters) - Quase mil baleias golfinhos e outro mamíferos marinhos morrem diariamente em redes de pesca, e é urgente mudar os métodos dos pescadores para salvar nove populações ameaçadas, disse na quinta-feira a entidade ambientalista WWF.

Seu relatório -- a primeira avaliação da situação feita por oceanógrafos de ponta, segundo a WWF -- diz que a captura acidental de cetáceos durante a pesca é uma das ameaças mundiais mais graves aos mamíferos marinhos.

"Quase mil baleias, golfinhos e botos morrem a cada dia em redes e utensílios de pesca. Isso é um a cada dois minutos", disse Susan Lieberman, diretora do Programa Global de Espécies da WWF. "Algumas espécies estão sendo levadas à beira da extinção. Uma ação urgente é necessária."

Por respirarem ar, os golfinhos e outros cetáceos se afogam quando são apanhados acidentalmente pelas redes. O relatório diz que nove populações de golfinhos e

O texto cita animais ameaçados em áreas tão distantes quanto o mar Negro, a costa da América do Sul, a África Ocidental e o Sudeste Asiático.

"A maioria das espécies na lista está ameaçada pelo uso difundido de um tipo de utensílio de pesca -- a rede de emalhe", disse a WWF. "Golfinhos têm dificuldades para ver essas redes ou detectá-las com seu sonar, por isso ficam presos na rede ou nas cordas atadas a ela."

Mas o relatório diz que as populações ameaçadas podem se recuperar se houver mudanças nos métodos de pesca e outras iniciativas de conservação. "Entre 1993 e 2003, pescadores dos Estados Unidos introduziram mudanças, como modificações nos utensílios de pesca, que reduziram a pesca acidental de cetáceos para um terço dos níveis anteriores", disse a WWF.

"Mas, até agora, poucas dessas medidas bem-sucedidas foram transferidas para outros países, e em grande parte do resto do mundo o progresso para reduzir a pesca acidental é lento ou inexistente."

As inovações incluem a colocação de alarmes acústicos nas redes, para assustar os mamíferos marinhos.

A WWF diz que o relatório será entregue ao comitê científico da Comissão Baleeira Internacional, que se reúne neste mês na Coréia do Sul.

Hospedagem: UOL Host