UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

06/10/2005 - 16h43

Tubarão branco nada mais de 20 mil quilômetros para se reproduzir

Por Ed Stoddard

JOHANESBURGO (Reuters) - Um grande tubarão branco deixou surpresos os cientistas ao nadar da África do Sul até a Austrália, ida e volta, em uma jornada que lança uma nova luz sobre o misterioso mundo do predador mais temido dos oceanos.

A viagem épica realizada por uma fêmea de tubarão -- batizada Nicole em homenagem à atriz australiana Nicole Kidman -- apareceu na edição da revista Science que chegou às bancas na quinta-feira.

Essa é a primeira viagem transoceânica e a mais longa já registrada no caso de um tubarão. Nicole nadou mais de 20 mil quilômetros, e os cientistas acreditam que ela o fez por amor.

"Suspeitamos que ela tenha ido até lá para se reproduzir", afirmou à Reuters Ramon Bonfil, da Sociedade de Conservação da Vida Selvagem (WCS).

"Há comida suficiente ao redor da África do Sul e ela teria gastado energia demais para ir à Austrália apenas se alimentar. Claro que ainda não podemos provar nossa teoria. Trata-se de um palpite", disse Bonfil, principal autor do estudo.

O rastreador preso a Nicole grava dados sobre a hora, a temperatura, a profundidade e os níveis de luz, mas não afirma nada sobre se o animal encontrou-se com um parceiro.

Segundo Bonfil, o caminho percorrido pelo tubarão foi surpreendentemente reto -- depois de nadar algumas centenas de quilômetros ao longo da costa da África do Sul, Nicole virou para leste e dirigiu-se até a Austrália.

Os tubarões brancos são encontrados nas águas australianas, sul-africanas e californianas (EUA).

O longo percurso percorrido pelo tubarão sugere que as populações desses animais na Austrália e na África do Sul interagem muito mais do que se imaginava.

O trajeto foi percorrido pelo animal em menos de nove meses -- o que, segundo o WCS, seria a "mais rápida rota de migração conhecida para um organismo marinho que nada".

"Na verdade, sabemos muito pouco sobre essas coisas," disse Bonfil.

Os cientistas colocaram um rastreador via satélite na nadadeira dorsal de Nicole no dia 7 de novembro de 2003. Ela passou algum tempo na África do Sul antes de dar início a sua jornada.

Hospedagem: UOL Host