UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

28/08/2006 - 17h33

"Lassie" volta às origens no seu retorno às telas

Por Gina Keating

Reprodução

Lassie na época em que era
estrela de uma série da TV
LOS ANGELES (Reuters) - Uma nova geração de norte-americanos será apresentada nesta semana à cadela Lassie, num filme que tem mais semelhanças com a sombria história literária original, ambientada na Inglaterra, do que com a ensolarada Califórnia da velha série de TV.

Lassie, uma collie bege e branca, e seu jovem dono, Joe, surgiram em 1938, num conto publicado por Eric Knight no Saturday Evening Post. Em 1940, o anglo-americano Knight lançava "A Volta ao Lar de Lassie".

"Para mim, era uma história nova, e se era nova para mim provavelmente seria nova para as pessoas mais jovens", disse o diretor do filme, Charles Sturridge, numa recente entrevista. "Todo mundo acha que conhece Lassie, mas (a história) tem um frescor que eu acho que merece uma nova vida cinematográfica."

"Lassie" entra em cartaz na sexta-feira nos EUA, com o estreante Jonathan Mason como Joe. Completam o elenco Peter O'Toole (como o duque de Rudling), Samantha Morton e John Lynch (pais de Joe).

Como muitos fãs, Sturridge nunca havia lido o livro de Knight nem o filme inspirado na obra, de 1943. Imaginava, portanto, que a Lassie de Knight era uma cadela norte-americana que vivia numa fazenda da Califórnia com seu dono Timmy --ou seja, igual a série de TV.

Na verdade, a história surgiu de uma viagem que Knight fez à Inglaterra durante a Grande Depressão, quando viu as pessoas vendendo seus bens para sobreviverem, segundo Ace Collins, especialista na "história" da personagem canina.

"Os bens mais valorizado por essa gente eram os cães collies," disse Collins. "Muita gente tinha de vender esses cachorros para colocar comida na mesa."

O livro contava a história de um menino de Yorkshire cujo pai, um mineiro de carvão desempregado, vende a belíssima cadelinha da família para um nobre. O duque leva a cadela para a Escócia, de onde ela foge para voltar para o jovem dono.

O estúdio MGM lançou o primeiro filme da personagem em 1943, com Elizabeth Taylor, Roddy McDowall e Pal, o primeiro de nove collies machos que interpretaram a cadela mais famosa do mundo.

Collins disse que são usados cães machos porque eles não perdem a vasta pelagem todos os anos e porque são maiores --o que permite que crianças mais velhas pareçam menores ao seu lado, como convém ao papel.

Hey-Hey, um descendente de Pal, faz uma rápida aparição no novo filme, mas Lassie é interpretada basicamente por um collie chamado Mason, segundo Sturridge.

O filme não foi liberado para todas as idades nos EUA, por causa de cenas um pouco violentas --como quando Lassie apanha com um cinto ou quase morre de fome antes de voltar para seu dono.

Este é o 11o filme com a personagem Lassie. A série de TV, que começou a ser feita em 1954, ainda é exibida no mundo.

"Recebo cartas e emails de fãs de todo o mundo", disse o ator Jon Provost, que fazia Timmy na série. "É um tema universal: um menino e seu cão. Transcende cultura, religião, linguagem", afirmou ele à Reuters.

A propósito, Provost desfaz uma lenda atribuída a Lassie: a cadela nunca foi latindo avisar a mãe de Timmy que ele havia caído em um poço.

Hospedagem: UOL Host