UOL BichosUOL Bichos
UOL BUSCA
ÚLTIMAS NOTÍCIAS

03/01/2007 - 08h38

Mudança climática é mais rápida na Austrália, dizem cientistas

Por Rob Taylor

CANBERRA (Reuters) - A Austrália parece estar sofrendo de forma acelerada o efeito estufa e o ritmo do aquecimento global é mais rápido no país do que em qualquer outra parte do mundo, disseram especialistas na quarta-feira.

O continente mais seco e desabitado do mundo, que já sofre uma das piores secas, está combatendo sua própria guerra climática, aponto o relatório anual do Escritório de Meteorologia da Austrália.

Metade do país precisa de água e a outra metade foi atingida pela quantidade total de chuva prevista para o continente inteiro.

"A maioria dos cientistas concorda que isso é parte do efeito estufa mais forte", disse à Reuters o climatologista Neil Plummer, do serviço australiano.

"As temperaturas estão subindo um pouco mais rápido na Austrália do que a média global, e sabemos que dos 20 anos mais quentes do país, 15 ocorreram desde 1980."

O relatório revelou contrastes climáticos extraordinários, no momento em que o primeiro ciclone do verão atingia a costa noroeste da Austrália, com chuvas e ventos potencialmente destrutivos.

Algumas regiões tiveram neves raras de verão durante o Natal que ajudaram a combater incêndios florestais, mas a seca provocou restrições ao consumo de água em grandes cidades.

As chuvas no país em 2006 ficaram acima da média, com 490 mm frente aos 472 mm normais, mas o represamento e os rios do sudeste do país, onde vive a maior parte da população, tiveram problemas.

"Teve chuva, mas só não choveu nas áreas mais povoadas. A maioria dos australianos certamente verá 2006 como um ano seco", disse Plummer.

A média de temperatura na Austrália em 2006 foi de 0,47 graus centígrados acima da média de longo prazo, mas o ano foi o 11o mais quente desde 1910, acrescentou o relatório.

E, apesar dos recordes de temperaturas diárias no sudeste, o ano passado foi mais frio do que 2005 por causa de uma temporada tropical muito ativa nos primeiros meses.

Plummer disse que o fenômeno El Nino no Oceano Pacífico provocou secas severas no leste da Austrália e foi responsável por grande parte da variação, mas que está começando a perder força.

Hospedagem: UOL Host