UOL Notícias Ciência e Saúde
 

02/10/2007 - 17h39

Os segredos do primeiro satélite enviado ao espaço

Da AFP
Há 50 anos, em outubro de 1957, a União Soviética lançou o primeiro satélite artificial da história, o Sputnik 1, o que representou um autêntico tapa tecnológico e sobretudo político nos Estados Unidos em plena Guerra Fria.

Em seu livro, "Do Sputnik à Lua: a história secreta do programa espacial soviético", Pierre Baland narra episódios e curiosidades que anteceram e sucederam a proeza histórica.

Este verdadeiro tesouro de informações pôde ser resgatado nos últimos anos graças à abertura de arquivos que haviam permanecido secretos até a queda da URSS.

A lenda do Sputnik começou no dia 4 de outubro de 1957, às 22H28, quando um foguete R7 ou Semiorka, derivado do míssil alemão V2, decolou do Cazaquistão levando a bordo uma esfera de 58 centímetros de diâmetro e 83 kg de massa com quatro antenas.

No entanto, devido à ausência de meios para acompanhar o lançamento improvisado, não foi possível saber se o satélite havia alcançado com êxito sua órbita.

Cem minutos depois, o som do "bip-bip" característico, cada vez mais forte nos fones dos responsáveis pela missão, revelou que o Sputnik 1 acabara de finalizar sua primeira órbita ao redor da Terra.

As autoridades soviéticas da época não deram muita importância ao projeto. Não foi preparada nenhuma cobertura especial dos meios de comunicação para anunciar o envio ao espaço deste objeto, que nem sequer tinha nome ("sputnik" significa simplesmente "satélite" em russo).

No dia seguinte, a imprensa divulgou o acontecimento de modo breve, sem ressaltar sua importância.

No entanto, no resto do mundo a admiração foi generalizada, assim como o medo no Ocidente. A partir deste evento, a imprensa ocidental passou a tirar conclusões alarmantes sobre a capacidade militar soviética.

Apesar do Semiorka não passar de um simples protótipo, os jornais consideraram que Moscou estava em condições de produzir mísseis balísticos capazes de alcançar qualquer alvo no mundo ou que dezenas de sputniks poderiam lançar bombas.

Os políticos não ficaram atrás e interpretaram o lançamento como uma prova adicional da superioridade comunista na área dos mísseis.

As autoridades soviéticas perceberam então que, "em cem minutos e uma volta ao redor da Terra, o Sputnik deu à URSS mais prestígio que quatro décadas de propaganda", resume Pierre Baland em seu livro.

No dia 6 de outubro, o Pravda (órgão oficial do Partido Comunista) publicou a informação na primeira página em quatro colunas, citando o lançamento como um dos principais acontecimentos do século XX.

Os americanos lançariam seu primeiro satélite em 31 de janeiro de 1958, o Explorer, de 14 quilos.

O livro de Pierre Baland, engenheiro civil espacial, hoje diretor comercial internacional do setor aeroespacial, permite descobrir a longa série de fracassos que acompanharam o desenvolvimento da área espacial soviética.

Esta publicação ajuda também a compreender por que, depois de terem sido os primeiros a lançar um satélite e enviar um homem ao espaço, em abril de 1961, os soviéticos foram finalmente humilhados por seus adversários americanos ao perder a corrida rumo à Lua.

Calculadoras

Massa corporal e gasto calórico

m

kg

Sexo

anos

* Os campos "Altura" e "Peso" são obrigatórios

* Esta avaliação não dispensa a orientação de um profissional de saúde. Procure um médico.

Hospedagem: UOL Host