UOL Ciência e SaúdeUOL Ciência e Saúde
UOL BUSCA

14/03/2007 - 17h48

Sobreviver a infarto nos EUA é mais difícil nos fins de semana

WASHINGTON, 14 mar (AFP) - As chances de se sobreviver a um infarto nos Estados Unidos são menores nos fins de semana, sobretudo devido à quantidade de médicos nos hospitais, segundo um estudo divulgado nesta quarta-feira.

Uma consulta feita em Nova Jersey (leste) entre 1999 e 2002 com 59.786 pessoas vítimas de infarto do miocárdio mostrou "uma clara diferença de mortalidade" trinta dias depois do ataque cardíaco, em função do dia de hospitalização dos pacientes.

Segundo os pesquisadores, neste caso (30 dias depois da hospitalização), a taxa de mortalidade varia de 12,9% a 12% entre as pessoas admitidas no hospital com este sintoma. Em termos de probabilidade, isto se traduz a um risco de morte por infarto 7,5% mais elevado nos fins de semana que durante a semana.

A diferença é maior 24 horas depois da admissão no hospital, com 22,2% mais riscos de morte se uma pessoa for hospitalizada entre a noite de sexta e a noite de domingo, destacaram os autores deste estudo, publicado no New England Journal of Medicine de 15 de março.

Um dia depois da hospitalização, a taxa de mortalidade após um infarto - obstrução de uma artéria coronariana ou de uma de suas ramificações - passa de 3,3% no fim de semana para 2,7% durante a semana.
Fale com
UOL Ciência e Saúde

Compara e acha o menor preço

- Câmeras Digitais
- Notebooks - TV LCD - GPS - Auto MP3

UOL Ciência e Saúde no Twitter