UOL Ciência e SaúdeUOL Ciência e Saúde
UOL BUSCA

21/03/2007 - 11h00

Dia Mundial da Água: o aquecimento global pode triplicar a escassez

PARIS, 21 Mar (AFP) - A escassez de água, problema que afeta a bilhões de pessoas, pode ser triplicada como conseqüência do aquecimento global, advertem especialistas sobre clima na véspera do Dia Mundial da Água, em 22 de março.

A escassez da água e a rivalidade que la provoca também ameaçam a paz e a eliminação da pobreza, conforme alertou o diretor-geral da Unesco, Koichiro Matsuura.

Renato Stockler/ Folha Imagem
O Grupo Intergovernamental de Estudos sobre Mudança Climática (GIEC) prevê que até 2100 deve haver um aumento de 1,8°C a 4°C na temperatura média do planeta
"A escassez é cada vez maior e o aumento da rivalidade em torno da água, que ameaçam a paz e as tarefas de eliminação da pobreza, nos obrigam a procurar uma repartição mais eficaz e igualitária desse recurso essencial", afirmou em um comunicado.

Segundo dados da UNESCO, uma em cada quatro pessoas no mundo não tem acesso a água potável e 40% da população mundial não dispõe de serviços de saneamento básico. O Grupo Intergovernamental de Estudos sobre Mudança Climática (GIEC) previu, em fevereiro deste ano, que até 2100 deve haver um aumento de 1,8°C a 4°C na temperatura média do planeta. No próximo dia 6 de abril, o GIEC deve divulgar, em Bruxelas, suas conclusões sobre os impactos previsíveis do fenômeno de aquecimento climático.

Segundo um relatório preliminar obtido pela AFP, os especialistas estimam, com um grau de confiança elevado (oito pontos em uma escala de zero a 10), que, com um aumento de 2°C da temperatura média da Terra, os recursos hídricos diminuirão e as necessidades de irrigação aumentarão. O estudo prevê ainda que as secas serão mais freqüentes (em 65%) e afetarão regiões que hoje são semi-áridas.

O relatório, entretanto, ainda pode ser modificado pelos representantes dos 190 Estados membros da ONU durante reunião na capital belga. O encontro tem o objetivo de aprovar o novo capítulo do quinto informe do GEIC, que substituirá o relatório de 2001.

O estudo estima ainda, com um grau de confiança de cinco pontos em um total de 10, que um aumento de 2 graus poderia submeter até dois bilhões de seres humanos a uma escassez de água. Desse total, de 350 a 600 milhões estariam na África e de 200 milhões a 1 bilhão na Ásia. Mas se o termômetro mundial subir 4 graus, os especialistas advertem que até 3,2 bilhões de pessoas sofrerão com a escassez de água. Em um informe publicado em 2006 (o 'UN World Water Development Report') pela UNESCO, calcula-se que em menos de 25 anos dois terços dos habitantes do planeta residirão em países com graves problemas de abastecimento de água, especialmente na África do Norte, no Oriente Médio e na Ásia.

Segundo os padrões da ONU, considera-se que há escassez de água quando a quantidade diária por pessoa é inferior a mil metros cúbicos. As Nações Unidas reconhecem que muitas regiões do mundo - como a África, o centro da Ásia, o sudoeste dos Estados Unidos e o sudeste da Austrália - vivem em situação de escassez crônica, com 500 metros cúbicos por pessoa.

Entre os impactos do aquecimento global sobre os recursos hídricos, os cientistas do GIEC advertem que "as reservas de água contidas nas geleiras e na cobertura da neve muito provavelmente derreterão". Além disso, a multiplicação das tempestades aumentaria as inundações e favoreceria a contaminação dos recursos de água doce.
Fale com
UOL Ciência e Saúde

Compara e acha o menor preço

- Câmeras Digitais
- Notebooks - TV LCD - GPS - Auto MP3

UOL Ciência e Saúde no Twitter