UOL Ciência e SaúdeUOL Ciência e Saúde
UOL BUSCA
[selo]

06/08/2007 - 10h46

'Um terço dos britânicos têm vergonha de preservativo'

BBC Brasil
Um terço dos britânicos acham constrangedor demais falar sobre preservativos com um novo parceiro (a) que acabam não usando nenhum, segundo uma pesquisa.

A pesquisa da organização beneficente Family Planning Association (FPA - Associação de Planejamento Familiar, em tradução livre) ouviu 2.169 adultos. E, destes, um terço afirmaram que se arrependeram do fato de não ter usado preservativo com um novo parceiro no passado.

A organização afirma que, apesar de se viver numa sociedade altamente sexualizada, falar a respeito de preservativos ainda é um tabu para muitos.

E últimas pesquisas mostram que casos de doenças sexualmente transmissíveis estão aumentando no Reino Unido.

Em 2006, na Inglaterra, o número de casos de herpes genital aumentou em 9% - 21.698 diagnósticos - e casos de clamídia aumentaram 4% - 113.585 diagnósticos.

Razão

"Temos que perguntar a razão de, no século 21, quando o sexo é retratado com naturalidade em várias formas na cultura britânica, falar sobre o uso de preservativos ainda é constrangedor", disse Anne Weyman, diretora-executiva da FPA.

Ela acrescentou que pessoas nas faixas etárias de 30 a 50, que deveriam se sentir extremamente confiantes ao conversar sobre todos os temas pertinentes a suas vidas, ainda têm muita dificuldade para falar sobre preservativos.

É este grupo de britânicos que Weyman afirma que precisa ser o alvo de campanhas de sexo seguro.

"Pessoas nas faixas dos 30 anos são a geração esquecida. Eles receberam pouca informação sobre educação sexual e sobre relacionamentos na escola, mas cresceram em uma sociedade altamente sexualizada", afirma.

"Eles tiveram que desenvolver confiança sozinhos para falar sobre preservativos e aprenderam da maneira mais difícil. Não é surpreendente que as pessoas sintam que é mais fácil não usar um preservativo do que ficarem na situação torturante de ter de falar sobre um assunto com o qual se sentem profundamente constrangidas", disse.

"Temo que as pessoas ainda achem mais fácil ter relações sexuais do que falar sobre sexo", disse Genevieve Clark, da organização de caridade Terrence Higgins Trust.

"Este constrangimento sobre preservativos é estranho quando você pensa nas alternativas - se colocar em risco de uma infecção ou de uma gravidez que poderia ser evitada", acrescentou.

A FPA imprimiu panfletos com dicas para ajudar os britânicos a falarem sobre o uso de preservativos com um novo parceiro sexual.

Entre os conselhos está tocar no assunto em situações fora do clima sensual, sem pressão e antes de ter uma relação sexual.
Fale com
UOL Ciência e Saúde

Compara e acha o menor preço

- Câmeras Digitais
- Notebooks - TV LCD - GPS - Auto MP3

UOL Ciência e Saúde no Twitter

Hospedagem: UOL Host