UOL Ciência e SaúdeUOL Ciência e Saúde
UOL BUSCA
[selo]

12/02/2008 - 16h01

Remédio contra fadiga muscular pode ajudar cardíacos

Da BBC Brasil
Cientistas da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, estão desenvolvendo um remédio para aliviar a fadiga pós-exercícios extremos que pode beneficiar pacientes de doenças cardíacas, segundo artigo publicado no site da revista especializada "Proceedings of the National Academy of Sciences".

De acordo com a equipe de cientistas, a fadiga se dá por causa do vazamento de cálcio para dentro das células musculares.

Os cientistas desenvolveram um remédio que acaba com esses vazamentos e que já foi testado com sucesso para aliviar a fadiga em camundongos exaustos.

Os pesquisadores afirmam que o vazamento de cálcio também pode ser responsável pela exaustão em pacientes cardíacos.

O estudo aumenta a esperança de que a nova droga possa ser usada para aliviar sintomas que podem ser altamente debilitantes.

Danos ao músculo
Antes, acreditava-se que a fadiga que se segue a intensos e contínuos exercícios, como a corrida de uma maratona, era causada pelo acúmulo de ácido láctico nos músculos, mas a teoria vem sendo questionada por alguns fisiologistas.

A nova pesquisa aponta um vazamento mínimo para dentro das células musculares como o responsável pelo sintoma.

O excesso de cálcio - que resulta do vazamento dentro das células musculares - enfraquece a força produzida pelo músculo e "ativa" uma enzima digestora de proteínas, que danifica as fibras musculares.

Os pesquisadores identificaram o vazamento nos músculos de camundongos depois de três semanas de um regime diário de natação e, em humanos, depois de três dias de ciclismo intenso.

A equipe da Columbia já havia identificado previamente o mesmo vazamento em músculos de animais com deficiências cardíacas.

Os pesquisadores ressaltam que o vazamento só foi encontrado em humanos e camundongos exaustos por conta de exercícios.

Em circunstâncias normais, o corpo consegue reparar qualquer dano aos músculos, mas a pesquisa sugere que pacientes com deficiências cardíacas crônicas sofrem vazamentos constantes, que nunca dão aos músculos a chance de se recuperar.

O estudo indica que é esse vazamento, e não a redução de sangue e oxigênio enviados aos músculos pelo coração, que causa a fadiga debilitadora normalmente associada à condição.

Essa fadiga pode ser tão severa que os pacientes às vezes não conseguem se levantar da cama, escovar os dentes, ou mesmo se alimentar.

Efeito da droga
Os pesquisadores deram a droga experimental para os camundongos antes de os animais começarem o regime de três semanas de natação.

Sem o remédio, os animais estavam exaustos depois de três semanas, mas aqueles que tomaram a droga permaneceram com energia ao fim do programa de exercícios, e seus músculos mostraram menos sinais de danos.

Os cientistas agora planejam testar a droga em pacientes com deficiências cardíacas, mas eles alertam que, mesmo se os testes forem bem-sucedidos, ainda deve demorar alguns anos para que o remédio esteja disponível nas farmácias.

John Brewer, diretor da Academia de Ciências do Esporte Lucozade, na Inglaterra, disse que os resultados da pesquisa são interessantes, mas terão que ser verificados em novos estudos com humanos.

Segundo Brewer, há provas suficientes de que o ácido láctico é o principal responsável pela fadiga depois de exercícios intensos. Para ele, o vazamento de cálcio seria mais um fator dessa fadiga.

Em 2005, cerca de 300 mil pessoas morreram de doenças cardiovasculares mo Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde.
Fale com
UOL Ciência e Saúde

Compara e acha o menor preço

- Câmeras Digitais
- Notebooks - TV LCD - GPS - Auto MP3

UOL Ciência e Saúde no Twitter

Hospedagem: UOL Host