UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

26/04/2004 - 19h27
Barbie atravessa crise de identidade em mercado cheio de bonecas

Por Rocío Ayuso Los Angeles (EUA), 26 abr (EFE).- Com seus 45 anos e recém-separada de seu namorado Ken, a popular Barbie atravessa uma dura crise de identidade em um mercado cheio de bonecas que ameaça seu longo reinado.

Na rixa feminina, Barbie se defende com unhas e dentes de sua principal rival, as bonecas de plástico, modernistas e multiculturais, além de muito mais jovens, chamadas Bratz.

Embora a cor rosa da Barbie continue dominando o mercado americano, onde chegou a controlar 90 por cento das vendas das chamadas "bonecas de moda", o tempo não passa em vão.

Em 12, dos últimos 13 trimestres, os resultados foram negativos para a Mattel, fábrica da boneca. A queda de suas vendas no último ano foi de 15 por cento no mercado nacional e 6 por cento no internacional.

De pouco serviu sua tentativa de ganhar publicidade, como uma estrela de Hollywood, anunciando o final de seu namoro com o eterno e paciente Ken, seu noivo desde 1961.

O novo namorado, Blaine, um surfista australiano loiro e bem bronzeado, tentará preencher esse vazio deixado em seu coração e em suas vendas, a partir de junho.

Além disso, Barbie aumentará seu armário, sua joalheria, seu estilo de vida e até seu interesse na tecnologia, com os telefones celulares em miniaturas que permitirão trocar mensagens com suas amigas de carne e osso.

Tudo para se atualizar e responder àqueles que pensam que seu domínio é coisa do passado.

Entre eles está Isaac Larian, presidente da companhia MGA, berço das Bratz.

"As Bratz dominam e a Barbie é história", afirma Larian, baseado nos os resultados econômicos.

Desde seu lançamento em 2001, as Bratz foram ganhando espaço até controlar 30 por cento das vendas de bonecas, reduzindo o império Barbie para 70 por cento do mercado nos Estados Unidos.

Com nomes como Jade e Yasmin entre suas bonecas e uma boa aparência com a maquiagem púrpura e violeta em seus rostos, as Bratz ganharam seu público com suas botas de plataforma, seu estilo hip-hop e um vestuário que causaria inveja em Britney Spears.

"Não somos uma moda", adverte Larian. "É o estilo de vida das meninas de 7 a 14 anos", resume o empresário, com seus dois prêmios da Associação da Indústria de Brinquedos.

A Mattel tentou contra-atacar o tom "perigoso, feroz e funkadelic" com o qual as Bratz são promovidas, utilizando suas mesmas armas e lançando ao mercado uma coleção de bebês brincalhões chamados "Flavas".

No entanto, seu estilo moderno e transgressor, além de tatuado, acabou não convencendo e este ano, a Mattel os retirou do mercado.

Larian afirma que se sua companhia continuar inovando, "as Bratz ficarão para sempre" no mercado.

Um mercado do qual a Hasbro, até agora conhecida entre os meninos por seu soldados do Comandos em Ação (GI Joe), também decidiu participar com as pequenas "Secret Central", um total de 20 estudantes de 8 centímetros de altura prontas para entrar no mercado.

Mas, apesar desta intensa concorrência, a Barbie, boneca que Ruth Handler batizou em homenagem à sua filha, ainda parece ter muita vida adiante.

Pelo menos é isso que se esperar de alguém que ao longo de seus 45 anos de história passou por três transformações físicas e foi capaz de ocupar mais de 80 empregos, de astronauta até pediatra passando por candidata à presidência.

Vendida em mais de 150 países, Barbie está disposta a superar esta crise. "A Barbie sempre terá um lugar neste mercado porque tem uma longa história", concluiu Pamela Brill, da revista "Playthings Magazine".

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA