UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

13/10/2004 - 12h31
"Riesgolandia", um jogo infantil para prevenir catástrofes

Por Xavier Barros Genebra, 13 out (EFE).- "Riesgolandia", um jogo infantil de grande popularidade na América Latina, tornou-se uma das principais formas de aprender a prevenir catástrofes, disseram nesta terça-feira responsáveis do Escritório de Estratégias para a Redução de Desastres da ONU.

"Riesgolandia", desenvolvido para dois a seis jogadores, é um jogo de perguntas e respostas sobre desastres naturais, em um tabuleiro com um atalho por onde se avança com fichas de acordo com a pontuação obtida com os dados.

O jogo foi lançado em 2002 por especialistas desse organismo na Costa Rica e, depois de seu inesperado sucesso na América Latina, deve estar disponível no final do ano em diversos vários países da Ásia e África.

O "Riesgolandia" foi apresentado em Genebra na véspera do Dia Internacional contra os Desastres. Atualmente ele está disponível em espanhol, português, inglês, crioulo, maia e nepali e será traduzido também para mais trinta idiomas, entre eles o quíchua, o chinês, o japonês e o bengali.

A coordenadora regional para a América Latina e o Caribe do Escritório de Estratégias para a Redução de Desastres da ONU, a finlandesa Elina Palm disse que "Riesgolandia" é baseado em um jogo similar anterior surgido na América Central em 1995, para "ensinar as crianças como reagir situações de emergência". O jogo pretende também preparar as crianças para que, quando adultas, tomem as "decisões corretas" sobre como urbanizar o ambiente e evitar que um desastre natural possa se tornar uma catástrofe.

Em 2002 foi editada a versão definitiva de "Riesgolandia" em castelhano, e desde então foram impressos entre vinte mil e trinta mil exemplares para a América Latina. O jogo foi lançado em colaboração com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Federação Internacional da Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho e será distribuído gratuitamente em escolas e centros infantis das zonas mais expostas a desastres.

Palm lembrou que ano passado 254 milhões de pessoas no mundo todo sofreram as conseqüências de desastres, cujos efeitos poderiam ter sido menores se fossem tomadas medidas adequadas de prevenção do risco.

Os especialistas calculam que em 2003 os desastres naturais causaram danos avaliados em 65 bilhões de dólares, frente aos 55 bilhões do ano anterior. A Conferência Mundial sobre Redução de Desastres, que se realizará de 18 a 22 de janeiro de 2005 em Kobe (Japão) sob os auspícios da ONU, examinará a maneira de reduzir o impacto dos fenômenos naturais, incluindo a melhora da educação, a aprendizagem e a sensibilização da população.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA