UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

09/07/2006 - 10h21
Acidente com Airbus mata pelo menos 124 pessoas na Sibéria

Ignacio Ortega

EFE

Restos do Airbus A-310 após acidente em aeroporto da Sibéria

Restos do Airbus A-310 após acidente em aeroporto da Sibéria

Moscou, 9 jul (EFE).- Pelo menos 124 pessoas morreram na noite deste sábado quando um avião Airbus, com 193 passageiros e oito tripulantes a bordo, bateu contra um edifício durante a manobra de aterrissagem no aeroporto da cidade siberiana de Irkutsk.

"O avião saiu da pista de aterrissagem do aeroporto, que estava escorregadia devido à chuva, às 19h44 (em Brasília). Devemos verificar a aderência do trem de pouso", disse o ministro de Transporte da Rússia, Igor Levitin, na televisão pública.

As equipes de salvamento já recuperaram os corpos de 124 ocupantes do A-310 da companhia Sibir, que cobria a rota entre Moscou e Irkutsk, uma das cidades mais visitadas da Sibéria devido a sua proximidade com o lago Baikal, a maior reserva de água doce do planeta e um dos destinos turísticos mais importantes da Rússia.

Segundo o Ministério de Situações de Emergência, cerca de 70 pessoas foram resgatadas e, destas, duas morreram. As outras estão internadas nos hospitais da cidade, onze delas na seção de queimados, segundo a agência oficial "Itar-Tass".

O vice-ministro de Situações de Emergência, Yevgueni Cerebrennikov, calculou em 25 o número de passageiros cuja situação ainda é desconhecida. Entre eles está o chefe do Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KGB) em Irkutsk, Serguei Koriakov.

O avião transportava 12 estrangeiros: três alemães, três chineses, dois poloneses, dois azerbaidjanos e dois bielo-russos.

Destes, estão internados os dois poloneses, os dois bielo-russos, um alemão e um azerbaidjano.

Das 14 crianças menores de 12 anos que viajavam no Airbus pelo menos seis foram hospitalizadas, entre elas uma de nove anos, que está em coma devido às queimaduras sofridas, e outra de três. No entanto, o úmero de menores de idade mortos na catástrofe ainda é desconhecido, informou o Centro de Medicina de Catástrofes de Irkutsk à agência "RIA Novosti".

Os trabalhos de resgate continuam entre os restos do avião, que chegou pouco antes das 8h (20h de Brasília) a Irkutsk, a cinco mil quilômetros de Moscou, após três horas e meia de viagem.

O avião saiu da pista logo após tocar a terra, se chocou contra um edifício de concreto e pegou fogo. O incêndio só foi controlado mais de duas horas depois do acidente.

Um vídeo caseiro divulgado pela televisão russa mostra o bico do Airbus totalmente destruído, enquanto as chamas se propagavam por quase toda a fuselagem. Os feridos tiveram que ser evacuados pela parte traseira, a única intacta.

Vários passageiros asseguram que a cabine do avião se incendiou antes da colisão com o edifício e testemunhas que moram nas imediações do aeroporto falam em duas explosões.

O ministro de Transporte acrescentou que a torre de controle perdeu o contato por rádio com os pilotos quando o aparelho posou e a Promotoria Geral trabalha com duas possibilidades, "uma falha técnica e um erro humano", já que a versão de um atentado terrorista é "muito improvável".

A caixa-preta do avião foi encontrada "em bom estado" entre os restos do aparelho e será levada a Moscou para que seja decifrada por especialistas, informou o Ministério de Transporte russo à agência "Interfax".

Por iniciativa do presidente russo, Vladimir Putin, o Governo central criou uma comissão de investigação para esclarecer as causas da catástrofe.

Putin, que também enviou suas mais "profundas condolências" aos parentes das vítimas, encarregou o primeiro-ministro, Mikhail Fradkov, da tarefa, segundo informou o departamento de imprensa do Kremlin em comunicado.

A comissão, que também será encarregada de oferecer assistência aos parentes das vítimas da catástrofe, será liderada pelo ministro de Transporte.

Levitin, o ministro de Situações de Emergência, Serguei Shoigu, e o representante plenipotenciário do presidente russo no distrito da Sibéria, Anatoli Kvashnin, já foram a Irkutsk para acompanhar de perto a investigação do gabinete de crise criado pelas autoridades locais.

Seis especialistas em Airbus também viajarão à região para participar da investigação. O avião, fabricado em 1987 pela companhia americana Pan American, atingiu no final de junho deste ano 52 mil horas de vôo. Sua última revisão foi feita em julho do ano passado. Atualmente, existem 229 Airbus desta classe em operação no mundo.

A companhia Sibir, segunda companhia aérea da Rússia depois da Aeroflot, conta com dez Airbus em sua frota e começou a voar entre Moscou e Irkutsk em julho de 2004.

O aeroporto de Irkutsk suspendeu todos os vôos, que foram transferidos provisoriamente à cidade de Bratsk, situada cerca de 200 quilômetros ao norte.

MAIS
Airbus deixará de fabricar A-310 em meados de 2007
Governo russo cria comissão para investigar acidente com avião

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA