UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

30/01/2007 - 13h29
Relatório adverte que a Grande Barreira de Corais morrerá em algumas décadas

Sydney, 30 jan (EFE).- A Grande Barreira de Coral morrerá dentro de algumas décadas por causa do aumento da temperatura no planeta, segundo a minuta de um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática na Austrália, publicada hoje pelo jornal "The Age".

A descoloração dos corais, que está ligada à associação simbiótica que mantêm com algumas algas que aderem a sua superfície, se tornará um acontecimento anual a partir de 2030.

Com o aquecimento do mar, as algas desaparecem, o coral perde a cor e, eventualmente, morre.

O estudo indica que o atol de corais precisa de pelo menos dez anos para se recuperar, mas há previsão de altas temperaturas para as próximas décadas.

A Grande Barreira de Corais contribui para a economia australiana com cerca de 5,8 bilhões de dólares australianos por ano (US$ 4,5 bilhões).

O novo ministro do Meio Ambiente australiano, Malcolm Turnbull, que assumiu o cargo hoje, disse que o Governo está administrando um plano de ação contra os efeitos da mudança climática na Grande Barreira de Corais com a autoridade marítima do parque.

Este programa foi criado em julho de 2004 e aumentou a área de proteção de 4% para 33%, espaço que abrange cerca de 11 milhões de hectares.

A nova legislação proibiu a pesca e a navegação na zona protegida, e o Governo buscou fórmulas alternativas para atenuar os efeitos negativos da medida entre os pescadores e os coletores de caranguejos.

Um painel independente, formado por quatro pessoas, desenvolveu os termos de referência da legislação para que os pescadores comerciais afetados pudessem receber uma indenização ou continuar desenvolvendo seu trabalho em outros lugares.

A iniciativa governamental ganhou o apoio de vários grupos ecológicos, como o WWF da Austrália, mas outros, como a Fundação Australiana para a Conservação, insistiram na necessidade de aumentar as medidas para proteger da poluição e da mudança climática estes 2.600 recifes situados ao longo de 2.000 quilômetros paralelos à costa leste de Queensland.

A Grande Barreira de Corais da Austrália, que contém a maior coleção de atóis de corais do mundo, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1981.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA