UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

01/02/2007 - 21h29
Candidato do partido de Lula presidirá a Câmara dos Deputados

Brasília, 1 fev (EFE).- Arlindo Chinaglia (PT-SP), candidato à Presidência da Câmara dos Deputados do Brasil, venceu as eleições realizadas hoje e presidirá a Casa durante os próximos dois anos.

Chinaglia venceu em segundo turno com 261 votos, contra os 243 que obteve Aldo Rebelo (PC do B-SP), também da base governista.

Ambos os candidatos tinham disputado um primeiro turno, na qual Chinaglia tinha obtido 236 votos, contra os 175 que apoiaram a candidatura de Rebelo.

O único candidato opositor, o social-democrata Gustavo Fruet, teve o respaldo de 98 dos 513 deputados e ficou fora do segundo turno, necessário porque nenhum dos candidatos conseguiu a maioria no primeiro.

Chinaglia e Rebelo dividiram nestas eleições a base parlamentar do Governo, constituída por parlamentares de oito partidos que se somaram à variada coalizão que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teceu para seu segundo mandato, que começou em 1º de janeiro.

A divisão foi reconhecida por ambos os candidatos, mas tanto um como o outro se esforçaram em deixar claro que somente afetava as votações de hoje e que a coalizão de Governo se mantém no Parlamento.

A Presidência da Câmara dos Deputados é um cargo-chave na política brasileira, pois define a pauta de votações do Congresso e quem a ocupa é o segundo na linha sucessória, atrás do vice-presidente do país, em caso de ausência do chefe de Estado.

Antes da votação vencida por Chinaglia, no Senado também foram escolhidas as novas autoridades, em processo que igualmente acabou favorecendo o governo.

O Senado será presidido por Renan Calheiros (PMDB-AL), reeleito hoje com o respaldo dos oito partidos da coalizão de Governo, que bastou para derrotar por 51 votos a 28 o senador José Agripino Maia, candidato da oposição.

Durante a legislatura anterior, Calheiros foi um fiel aliado de Lula e colaborou com o Governo para superar a crise suscitada por reiterados escândalos de corrupção.

Calheiros pertence ao PMDB, partido de centro-direita que respaldou Lula informalmente durante os últimos dois anos, mas que desde 1º de janeiro, quando começou o segundo mandato do presidente, se integrou totalmente à coalizão de Governo.

Na legislatura iniciada hoje, o PMDB tem a maior bancada na Câmara dos Deputados e também no Senado, o que lhe transformou na força mais poderosa da coalizão de Governo e também no fiel da balança política no Parlamento.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA