UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

12/04/2007 - 09h01
Primeiro-ministro chinês defende "degelo" nas relações do país com o Japão

Patricia Souza Tóquio, 12 abr (EFE).- O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, defendeu hoje o "degelo" nas relações entre China e Japão durante uma visita histórica ao Parlamento japonês, na qual instou ambos os países a aprender as lições do "passado infeliz".

Em discurso elogiado pelas autoridades japonesas, e sob as bandeiras dos dois países, Wen Jiabao insistiu em uma mensagem clara: a cooperação entre a segunda e a quarta maiores economias do mundo oferece "uma oportunidade", e "não uma ameaça".

Wen completa hoje o segundo dia de sua visita oficial ao Japão, a primeira de um governante chinês em sete anos, destinada a promover a melhora das relações impulsionadas em outubro com a viagem do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, a Pequim.

Além de se reunir com o imperador Akihito, a agenda de hoje teve como ponto culminante o discurso do premier chinês na Dieta (Parlamento) do Japão, algo que não ocorria há 22 anos.

"Espero que esta visita ajude no degelo entre China e Japão. O objetivo é promover a amizade e a cooperação", disse o premier chinês, aplaudido de pé pelos parlamentares japoneses.

Sua visita, de caráter principalmente conciliador, não deixou de lado temas espinhosos, freqüentes em uma relação entre dois vizinhos que sempre se olharam com desconfiança e se enfrentaram em várias guerras.

Wen culpou "alguns poucos militares" das agressões cometidas pelas forças japonesas na China em tempos de guerra, mas pediu ao Executivo de Shinzo Abe que demonstre o arrependimento japonês com ações, além das palavras.

"O Japão admitiu formalmente as agressões em tempos de guerra e expressou profundo remorso e desculpas. Esperamos sinceramente que o Japão também o demonstre com ações concretas", afirmou.

"As invasões japonesas no século XX causaram um tremendo dano aos cidadãos chineses e as cicatrizes que deixaram na população não podem ser descritas", acrescentou.

Mas o primeiro-ministro chinês foi claro ao afirmar que tanto o povo chinês quanto o japonês sofreram na guerra.

O discurso histórico de Wen foi elogiado pelas autoridades japonesas, que destacaram a "visão de futuro" do premier chinês.

O porta-voz do Executivo japonês, Yasuhisa Shiozaki, disse que Wen "se mostrou aberto à cooperação entre as duas nações em vários assuntos", segundo a agência local "Kyodo".

Akihiro Ota, líder do partido Novo Komeito, membro do Governo, elogiou Wen por ter "deixado claro que (os chineses) não guardam rancores sobre o passado, e que a vontade da China é orientar as relações com o Japão visando o futuro".

A visita de Wen Jiabao ao Japão também tem caráter econômico, pois a China é o maior parceiro comercial do Japão, e os negócios entre os dois países quadruplicaram na última década, atingindo US$ 250 bilhões em 2006.

Em outro ato que contou com a presença de cerca de 400 empresários japoneses, Wen pediu a cooperação deles para ajudar a manter o elevado crescimento econômico chinês por meio da experiência com modernas tecnologias.

"Precisamos cooperar em áreas como economia de energia, proteção do meio ambiente, altas tecnologias e em assuntos financeiros", disse o dirigente chinês.

Durante a viagem, Wen procura também resolver uma série de divergências com o Governo japonês, como sobre os direitos de exploração de jazidas de gás no mar da China Oriental.

"Deixando de lado a disputa entre os países, deveríamos impulsionar as negociações com base em um projeto conjunto e dar passos concretos para solucionar pacificamente as diferenças para transformar o mar em um local de paz, amizade e cooperação", afirmou.

O primeiro-ministro chinês, que se reuniu na quarta-feira com Shinzo Abe em Tóquio, encerrará na sexta-feira seu programa especial no Japão com visitas às cidades de Kyoto e Osaka, nas quais se reunirá com empresários, autoridades locais e universitários.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA