UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

21/07/2007 - 13h35
Índia elege Pratibha Patil, primeira presidente mulher da história do país

Agus Morales Nova Délhi, 21 jul (EFE).- No 60º aniversário de sua independência, a Índia elegeu hoje para a Presidência do país a até então governadora do estado noroeste de Rajastão, Pratibha Patil, que se torna a primeira mulher a assumir o cargo na história do país.

"Esta é a vitória dos princípios. Os princípios do povo indiano", disse risonha Pratibha Patil, fazendo o gesto da vitória com os dedos, em discurso transmitido ao vivo pelo canal "NDTV".

A nova chefe de Estado obteve 2.931 votos, frente aos 1.449 de Shekhawat, o candidato da oposição.

O sistema de eleições presidenciais da Índia, formado por 5.000 legisladores e fechado aos demais cidadãos, usa o mecanismo de voto único transferível, com o qual cada eleitor tem a opção de votar em mais de um candidato, mas estabelecendo uma ordem de preferência.

O voto secreto de cada eleitor - 776 deputados nacionais e 4.120 regionais - tem peso ponderado, em função da representatividade da cadeira de cada um, com uma soma total de 1.098.000 pontos.

"O voto a favor de Patil é um voto contra as políticas divisórias", disse o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh.

A presidente do governante Partido do Congresso, Sonia Gandhi, afirmou que esse "é um grande momento para as mulheres, porque é a primeira vez que temos uma mulher como presidente".

À medida que avançava a apuração de votos, uma multidão comemorava a vitória de Pratibha Patil em sua cidade natal, Nadgaon, no estado de Maharashtra. Ao mesmo tempo, simpatizantes do Partido do Congresso festejavam nas cidades mais importantes do país.

A discrição de Pratibha Patil contrasta com a popularidade do chefe de Estado em fim de mandato, o muçulmano Abdul Kalam, um cientista nuclear que renunciou após não ter recebido o apoio dos partidos do Governo e da oposição.

A eleição foi caracterizada por uma ruptura do tradicional consenso entre os principais partidos, e também pelas acusações de corrupção contra Pratibha Patil.

Depois da estagnação na qual foram cogitados os nomes do ministro do Interior, Shivraj Patil, e do titular de Exteriores, Pranab Mukherjee, o Partido do Congreso propôs a seus parceiros de Governo a candidatura de Pratibha Patil.

A nova presidente indiana, de 72 anos, será uma das mulheres mais poderosas da Índia, junto com Sonia Gandhi e a chefe de Governo do estado de Uttar - o mais povoado do país -, a líder "intocável" Mayawati, cujo partido apoiou a candidata governamental.

Sonia Gandhi agradeceu o apoio do partido de Mayawati a Patil, no primeiro acordo entre os dois partidos antes das eleições gerais de 2009. O voto dos "intocáveis" pode ser determinante para a formação do Governo.

A ascensão de Pratibha Patil à chefia de Estado concede ainda mais poder a Sonia Gandhi, com quem a nova presidente mantém um estreito laço de amizade.

Sonia Gandhi renunciou à liderança do Governo devido às críticas recebidas por causa de sua origem italiana, após a vitória nas eleições de 2004. Em seu lugar, está o primeiro-ministro Manmohan Singh.

Pratibha Patil tomará posse oficialmente como chefe de Estado da Índia na próxima quarta-feira. A partir dessa data, ela passará a morar no palácio presidencial, o grandioso Rashtrapati Bhavan.



Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA