UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

01/11/2007 - 16h02
Morre Paul Tibbets, piloto do avião que atirou a bomba de Hiroshima

Washington, 1 nov (EFE) - O general-de-brigada aposentado Paul Tibbets, piloto e comandante do avião B-29 "Enola Gay" que, em 1945, atirou sobre Hiroshima a primeira bomba atômica usada em uma guerra, morreu hoje em Ohio, informou seu site.

A página não indica qual foi a causa da morte de Tibbets, que tinha 92 anos.

O jornal "The Columbus Dispatch", de Ohio, informou que ele deixa uma esposa, Andrea, e três filhos, e que o corpo será cremado.

No dia 6 de agosto de 1945, Tibbets, pilotando o avião batizado com o nome de sua mãe e com outros nove tripulantes a bordo, levou a bomba até a cidade japonesa.

"A bomba foi descarregada às 8h16 da manhã", de acordo com relato oficial no site do general-de-brigada aposentado.

"Houve uma explosão terrível, muito forte, inimaginável, perto do centro da cidade. A tripulação do 'Enola Gay' viu uma coluna de fogo que subia rapidamente e chamas intensas que brotavam", acrescentou.

A explosão, que destruiu completamente 65% dos prédios da cidade, matou cerca de 70 mil pessoas. Nos quatro meses seguintes, os ferimentos causados pela bomba e a radiação resultante elevaram o número de mortos para mais de 100 mil.

Três dias depois, Tibbets, pilotando o B-29 "Superfortress", sobrevoou a cidade de Nagasaki para observar as condições meteorológicas antes de outro avião americano descarregar a segunda bomba atômica sobre o Japão.

Os bombardeios atômicos forçaram o Império Japonês a se render e, desde então, geraram polêmica entre os que consideram os ataques crimes de guerra, por um lado, e os que defendem o uso das bombas, dizendo que evitaram um número maior de vítimas e baixas caso o conflito tivesse continuado, por outro.

Tibbets, nascido em Illinois em 1915, voou de avião pela primeira vez aos 12 anos, quando, em um biplano, participou de uma distribuição de balas sobre uma multidão no hipódromo de Hialeah, perto de Miami (Flórida).

Quando adolescente, ele estudou na Academia Militar do Oeste e, em 1937, ingressou como cadete no Corpo Aéreo do Exército em Kentucky. Um ano depois, foi diplomado piloto.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Tibbets comandou missões de bombardeio na Europa ocupada pelos nazistas, e, em 1943, voltou aos EUA para testar os novos aviões Boeing B-29, conhecidos como "Superfortress".

Em setembro de 1944, ele foi escolhido em um grupo muito pequeno de militares que foram informados sobre o "Projeto Manhattan", o desenvolvimento secreto de armas nucleares pelos Estados Unidos.

Eles foram encarregados de determinar e supervisionar as remodelações necessárias para que o B-29 pudesse transportar e descarregar uma destas bombas.

Em 5 de agosto de 1945, o presidente Harry Truman aprovou o uso da bomba - batizada de "Little Boy", em oposição à "Fat Man", descarregada sobre Nagasaki - e a tripulação comandada por Tibbets foi responsável por cumprir a missão.

Quando o general-de-brigada se aposentou da Força Aérea, em 1966, tinha completado mais de 29 anos e meio de serviço, mas continuou voando como piloto de aviões privados e executivo de uma empresa de aeronáutica.



Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA