UOL Notícias Notícias
 

06/01/2009 - 10h31

Israel volta a rejeitar trégua em Gaza proposta pela União Européia

Em Jerusalém
O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, voltou a rejeitar hoje a proposta da União Européia (UE) de alcançar uma trégua na faixa de Gaza enquanto o presidente de Israel, Shimon Peres, disse que "a Europa tem que abrir os olhos".

Olmert comunicou hoje a recusa em seu escritório de Jerusalém à delegação da UE liderada pelo ministro de Exteriores tcheco, Karen Schwarzenberg, que chegou ontem a Israel para tentar conseguir o fim das hostilidades na faixa de Gaza.

"Olhem onde estão disparando, já alcançaram Gedera", disse Olmert, em referência a uma localidade situada a 40 quilômetros de Gaza onde chegou hoje, pela primeira vez, um foguete palestino, que provocou ferimentos leves em um bebê, segundo o site do jornal israelense "Yedioth Ahronoth".

"Antes da trégua disparavam a uma distância de 20 quilômetros, agora chegam até 40 quilômetros. Se houver outra trégua, alcançarão 60 quilômetros ou mais", disse o chefe do Governo israelense.

Olmert acrescentou que "respeita" as Nações Unidas e suas instituições, mas rejeitou suas chamadas a um cessar-fogo e se mostrou partidário da iniciativa promovida pela Administração americana de "colocar uma manta internacional sobre o fogo em Gaza".

Segundo o primeiro-ministro, o mais importante neste momento é "frear o contrabando de armas" a partir do Egito por túneis subterrâneos "e o fortalecimento do Hamas".

"Já fizemos gestos suficientes, agora exigimos uma ação que traga segurança aos residentes do sul de Israel", acrescentou.

Peres também recebeu esta manhã a delegação européia, que também é integrada pela comissária de Relações Exteriores da UE, Benita Ferrero-Waldner, e dois ministros de Exteriores, o sueco Carl Bildt e o francês Bernard Kouchner, a que disse que "Europa deve abrir os olhos a respeito da luta em Gaza".

"Nenhum país europeu toleraria fogo de foguetes sobre seus cidadãos, e devem entender que o Hamas é uma organização terrorista da pior ordem", disse Peres, em comunicado divulgado por seu escritório após a reunião.

Segundo o chefe do Estado, Israel "não está no negócio das relações públicas nem tentando melhorar sua imagem", mas "lutando contra o terrorismo" e exercendo seu direito de defender seus cidadãos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,06
    4,090
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    0,17
    103.680,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host