! EUA celebram Dia dos Veteranos em meio a guerras e recessão - 11/11/2009 - EFE
UOL Notícias Notícias
 

11/11/2009 - 16h34

EUA celebram Dia dos Veteranos em meio a guerras e recessão

[selo]
Washington, 11 nov (EFE).- Os Estados Unidos lembram hoje o Dia dos Veteranos, que marca o 91º aniversário do armistício que pôs fim a I Guerra Mundial e que neste ano ocorre com o país em meio a dois conflitos bélicos e na pior recessão em 70 anos.

Por causa da celebração, o presidente Barack Obama e a primeira-dama, Michelle, ofereceram um café da manhã na Casa Branca a um grupo de veteranos, no qual também participaram o vice-presidente Joe Biden e sua esposa, Jill.

Depois, Obama foi ao cemitério de Arlington, na Virgínia, onde estão enterrados mais de 300 mil combatentes americanos e ofereceu flores no túmulo do Soldado Desconhecido.

Após o ato, o presidente ressaltou a coragem dos homens e mulheres que suportarão uma expedição após outra "nos lugares mais perigosos do mundo".

Lembrou que em um dia como hoje as tropas americanas seguem enfrentando "perigos" ao redor do planeta.

Prometeu aos 23 milhões de veteranos de guerra que ainda vivem no país que os Estados Unidos não lhe darão às costas.

"Minha mensagem a todos os veteranos hoje é que os Estados Unidos não os abandonará", disse o líder, em um momento em que as taxas de suicídios entre os ex-combatentes estão nos maiores níveis.

No ano passado, o Exército americano informou 133 suicídios, um número recorde, segundo as autoridades.

A taxa de suicídio entre os soldados no Iraque é 11% superior à registrada no Vietnã.

Um relatório publicado neste ano pelo Departamento de Veteranos de guerra estimou que em 2008 mais de 130 mil ex-combatentes sem trabalho.

A comemoração coincide com atos similares ao redor do mundo que lembram o sacrifício de uma geração.

Da I Guerra Mundial na qual 4 milhões de americanos serviram, só resta vivo Frank Buckles, da Virgínia Ocidental, com de 108 anos.

Na Grã-Bretanha, os últimos veteranos, William Stone, Henry Allingham e Harry Patch, morreram neste ano, situação que se repete em muitos dos países combatentes.

Na I Guerra Mundial (1914-1918), Alemanha, Áustria-Hungria e Turquia enfrentaram França, Grã-Bretanha, Rússia, Itália e, a partir de 1917, os Estados Unidos.

Os EUA comemoram o Dia dos Veteranos desde 11 de novembro de 1919, quando o presidente Woodrow Wilson decidiu lembrar o armistício que ocorreu no mesmo dia um ano antes e que pôs fim de forma simbólica à Primeira Guerra Mundial.

A festividade ficou conhecida como Dia do Armistício nos EUA até 1954, quando o presidente Dwight Eisenhower decidiu mudar o nome para o Dia dos Veteranos.

Organizações que prestavam serviços aos veteranos de guerra pediram a mudança do nome porque queriam que o nome servisse para homenagear todos aqueles americanos que combateram em conflitos bélicos.

Atualmente, existem 23 milhões de veteranos de guerra nos EUA. Deles, 5 milhões combateram durante a Segunda Guerra Mundial, outros 5 milhões na Guerra da Coreia, 8 milhões são veteranos da Guerra do Vietnã e 3 milhões da Guerra do Golfo.

Entre os atos previstos hoje no país também esta um desfile pela Quinta Avenida de Nova York.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host