! Zelaya diz que não renunciou ao poder em Honduras e critica EUA - 15/11/2009 - EFE
UOL Notícias Notícias
 

15/11/2009 - 18h43

Zelaya diz que não renunciou ao poder em Honduras e critica EUA

[selo]
Tegucigalpa, 15 nov (EFE).- O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse hoje que não renunciou ao poder e criticou os membros do atual Governo dos Estados Unidos ao falar que "não são descendentes de (Abraham) Lincoln".

"Meu mandato presidencial termina em 27 de janeiro de 2010", declarou Zelaya à rádio "Globo" após o final de uma missa celebrada na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, onde está refugiado desde o dia 21 de setembro.

O presidente deposto acrescentou que nem o Congresso Nacional, nem a Suprema Corte de Justiça, podem retirá-lo do comando, e que esses poderes do Estado levantaram "juízos falsos" para derrubá-lo em 28 de junho passado e nomear Roberto Micheletti como governante de fato.

Zelaya ressaltou estava na qualidade de presidente de Honduras quando enviou ontem a carta ao governante dos Estados Unidos, Barack Obama, na qual diz que não aceita "nenhum acordo" para sua restituição no poder.

"Como presidente, não vou fazer nenhum acordo. Eu renuncio a continuar falando com o senhor Micheletti, renuncio a continuar aceitando este diálogo falso, mentiroso, que serviu apenas para fortalecer o regime e debilitar os EUA", afirmou.

Em uma intervenção durante a missa celebrada na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, Zelaya falou do ex-presidente americano Abraham Lincoln (1861-1865), que "deu um exemplo ao povo americano que agora este Governo não quer seguir".

"Estes não são descendentes de Lincoln. Negam Lincoln porque estão querendo apoiar eleições aqui em guerra", em alusão ao pleito marcado para o próximo dia 29 em Honduras.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host