! Farc e paramilitares buscam se infiltrar em eleições colombianas - 27/11/2009 - EFE
UOL Notícias Notícias
 

27/11/2009 - 18h28

Farc e paramilitares buscam se infiltrar em eleições colombianas

[selo]
Bogotá, 27 nov (EFE).- Os paramilitares e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) estão tentando fazer com que alguns de seus membros se candidatem às eleições legislativas de 2010 na Colômbia, denunciou hoje a Missão de Observação Eleitoral (MOE).

A diretora da MOE, Alejandra Barrios, advertiu à imprensa que se faz necessário um especial "acompanhamento da forma como a política vai se comportar" no departamento (estado) de Meta, onde há presença de grupos armados ilegais.

"O assunto do paramilitarismo está voltando a ganhar força no litoral do país (norte), em cinco departamentos, que são La Guajira, Córdoba, Atlântico, Sucre e Magdalena", acrescentou.

Barrios acrescentou que os paramilitares estão tentando mudar sua estratégia de ter uma forte presença no Congresso, como fizeram em 2006, o que levou à investigação de quase 70 legisladores, alguns deles já condenados por seus vínculos com os ultradireitistas.

Além disso, a diretora do MOE indicou que a presença do paramilitar e traficante de drogas conhecido como "Cuchillo" continua "rondando em Meta, ameaçando a população".

"É preciso olhar a relação efetiva da política por meio dos paramilitares que andam ainda soltos no país e não se desmobilizaram", sugeriu.

Barrios acrescentou que, caso a relação entre políticos e paramilitares seja mantida nas eleições de 2010, isso significaria que a Colômbia "não aprendeu a detectar os votos manchados de sangue".

O coordenador da MOE no departamento de Tolima (centro), Gilberto Martínez, denunciou que as Farc "estão tentando se camuflar nos partidos da esquerda".

A MOE pediu que o Governo colombiano dê garantias para o processo eleitoral de 2010, no qual os colombianos elegerão presidente e congressistas.

Um total de 120 policiais treinados por Estados Unidos e Israel se encarregará de proteger os candidatos presidenciais na Colômbia nas eleições previstas para maio.

O diretor de Segurança e Proteção da Polícia colombiana, o coronel William Salamanca, explicou que esses 120 homens formarão os círculos de segurança mais próximos aos candidatos e haverá outros 2.500 disponíveis para a campanha pelas diferentes regiões do país.

Tradicionalmente, as Farc acentuam suas ações violentas durante as campanhas presidenciais na Colômbia.

Para o pleito de maio de 2010, ainda não se sabe se o atual presidente colombiano, Álvaro Uribe, será ou não candidato.

Seus correligionários impulsionaram um projeto de lei, à espera de uma decisão da Corte Constitucional, para convocar um referendo no qual os cidadãos decidiriam se apoiam reformar a Constituição colombiana para que Uribe possa concorrer a uma segunda reeleição imediata.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host