UOL Notícias Notícias
 

10/06/2011 - 10h09

Milhares de sírios participam de mais uma sexta-feira de protestos

Cairo, 10 jun (EFE).- Milhares de manifestantes voltaram a sair às ruas de várias cidades da Síria nesta sexta-feira após a oração de meio-dia, para pedir reformas democráticas em uma nova jornada de protestos batizada como "Sexta-feira dos Clãs".

Segundo vários sites de grupos opositores, milhares de manifestantes protestaram em cidades como Qamishly (nordeste), Deir al Zor (leste), Aleppo (noroeste), Hama e Homs (centro), Deraa (sul), entre outras.

O grupo Revolução Síria contra Bashar al Assad assegurou que milhares de pessoas protestaram em bairros de Hama.

Além disso, mais de 1,5 mil manifestantes saíram às ruas em Deir al Zor, informou um grupo opositor em sua página no Facebook, que acrescentou que há um grande número de soldados do Exército e de franco-atiradores nos arredores de Damasco.

Também foram registrados disparos em locais como Idleb (noroeste) Homs, Deraa e Qamishly, segundo o grupo opositor Comitês de Coordenação Local na Síria, que ressaltou que, por enquanto, não houve vítimas.

Os comitês acrescentaram que a eletricidade, a água e as comunicações foram cortadas na cidade de Ariha, na província de Idleb, onde tanques e soldados do Exército irromperam na manhã desta sexta-feira.

Por sua vez, a rede Sham afirmou que há disparos esporádicos de artilharia em Yisr al Shugur, onde as forças de segurança atearam fogo a cultivos, segundo seu site.

Segundo a Revolução Síria contra Bashar al Assad, um número indeterminado de militares de alta categoria desertou por divergências com os comandantes.

A emissora "Al Jazeera" também mostrou um vídeo no qual um suposto oficial anunciava sua renúncia pelo que descreveu como um "genocídio de pessoas desarmadas".

A televisão estatal síria disse que após a oração do meio-dia houve "algumas manifestações com participação limitada" e mostrou imagens da saída da oração em várias localidades para ressaltar que a situação no país é de total tranquilidade.

No entanto, o correspondente da emissora em Deraa informou que, quando a Polícia tentou dispersar uma manifestação de cerca de 150 jovens, grupos não identificados começaram a disparar de forma indiscriminada contra os manifestantes e as forças de segurança, mas não informou sobre possíveis vítimas.

Além disso, a televisão afirmou que grupos armados em Homs dispararam contra os civis e que um agente de segurança ficou ferido.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h19

    -0,22
    3,763
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h27

    0,38
    104.174,09
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host