UOL Notícias Notícias
 

13/06/2011 - 20h37

Documentos do Pentágono sobre Guerra do Vietnã são divulgados 40 anos depois

Washington, 13 jun (EFE).- Exatamente 40 anos depois do jornal "The New York Times" iniciar a publicação de documentos secretos do Pentágono sobre a Guerra do Vietnã, o Governo americano divulgou nesta segunda-feira uma versão completa do vazamento.

No dia 13 de junho de 1971, o jornal nova-iorquino começou a mostrar ao público documentos copiados e entregues à imprensa pelo analista do Pentágono Daniel Ellsberg, que mostravam os erros do Governo dos Estados Unidos em uma guerra que então já parecia perdida.

O pacote de mais de sete mil páginas, retirado pacientemente por Ellsberg dos arquivos do Departamento de Defesa, estremeceu a Presidência de Richard Nixon e gerou uma luta pela liberdade de imprensa que chegou até a Corte Suprema de Justiça dos EUA.

Os documentos mostravam a forma como os Governos dos presidentes Dwight Eisenhower, John Kennedy e Lyndon Johnson envolveram o país no conflito de Indochina enganando o Congresso, a opinião pública e os aliados dos americanos.

Nesta segunda-feira, quatro décadas depois, o Governo de Barack Obama divulgou os documentos, que incluem 2.384 páginas desconhecidas e completam o que era até agora a versão mais conhecida dos 'documentos do Pentágono'.

Segundo John Prados, analista do Arquivo de Segurança Nacional, o material divulgado por Ellsberg "se limitou ao que podia ser copiado em uma fotocopiadora e ao que podia ser tirado do escritório", disse.

A intervenção dos EUA na Guerra do Vietnã começou quando Indochina estava ainda sob ocupação francesa e Washington proporcionou armamento e fundos para suprimir o movimento de independência.

Durante a Presidência de Eisenhower, os EUA enviaram assessores militares para apoiar o regime do Vietnã do Sul, mas a presença militar foi sendo incrementada por Kennedy até atingir o número de meio milhão de americanos ao fim do Governo de Johnson.

Mesmo passadas quatro décadas da divulgação da primeira parte dos "documentos do Pentágono", o Departamento de Defesa ainda quis manter uma mínima parte em segredo - 11 palavras foram suprimidas. Prados brincou que o Arquivo Nacional iniciará um concurso para ver quem adivinha quais são essas palavras.

"Minha especulação é que essas palavras se referem a empregados da Agência de Segurança Nacional deslocados no Vietnã, ou a um funcionário do Vietnã do Sul que foi pago pela Agência Central de Inteligência", concluiu Prados.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h40

    -0,34
    3,758
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    -0,03
    103.775,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host