EleiçõesEleições
BUSCA

RS/Porto Alegre - Eleito
Candidato do PPS vence 2º turno e tira PT do poder após 16 anos
Prefeito: José Fogaça (PPS)
Vice: Eliseu Santos (PTB)
Coligação:PPS e PTB
Gasto máximo previsto:R$ 3,5 milhões
Votos: 229.113 (1º turno) e 431.820 (2º turno)
Site oficial: www.fogaca23.can.br/
O candidato José Fogaça (PPS) foi eleito neste domingo (31) prefeito de Porto Alegre. Ele venceu o segundo turno com 53,32% dos votos válidos, ficando à frente de Raul Pont (PT), que recebeu 46,68% (veja resultado da apuração dos votos).

A eleição de Fogaça pode ser creditada ao desgaste proporcionado por 16 anos seguidos de administração petista em Porto Alegre. Com isso, o partido do presidente Lula perde o comando em uma de suas maiores vitrines políticas.

A vitória do candidato do PPS, que ficou atrás de Pont no primeiro turno, se consolidou apenas nas últimas semanas e fortalece Germano Rigotto (PMDB), governador do Estado, que declarou seu apoio a Fogaça no segundo turno.

José Alberto de Fogaça Medeiros, 57, nasceu no dia 13 de janeiro de 1947 em Porto Alegre. É formado em direito pela PUC-RS e é professor de direito constitucional das Faculdades Rio-Grandenses.

Fogaça começou sua carreira política no Legislativo, ao se eleger deputado estadual em 1978. Em 1982, foi eleito deputado federal. Nesse mandato, comandou em 1984 na Câmara dos Deputados a campanha Diretas-Já, que pedia eleições diretas para presidente da República.

Fogaça foi eleito senador em 1986 e participou da Assembléia Nacional Constituinte, na qual foi relator-adjunto e co-responsável pela redação do texto final da Constituição atual, promulgada em 1988. Em 1994, reelegeu-se senador e continuou envolvido com a Constituição - foi o relator de propostas de emendas ao texto de 1988. Assumiu outra relatoria - a do novo Código Civil Brasileiro - em 2000.

Historicamente ligado ao PMDB (desde quando a sigla era MDB), Fogaça chegou a ser presidente da legenda em 1993. Mas conflitos com outro nome forte do partido no Rio Grande do Sul, Antonio Britto, levaram Fogaça a abandonar o partido e se filiar ao PPS. Em sua última eleição, em 2000, a sua primeira na nova sigla, não conseguiu um novo mandato como senador.

Fogaça já teve uma experiência nas eleições municipais - foi candidato a vice-prefeito de Francisco Machado Carrion Júnior em 1984.