EleiçõesEleições
BUSCA

MG/Juiz de Fora - 2º turno
PTB e PSDB se enfrentam no 2º turno

Da Redação

O deputado estadual Carlos Alberto Bejani (PTB) e o deputado federal Custódio de Mattos (PSDB), ambos ex-prefeitos, disputarão o segundo turno em Juiz de Fora (MG). Bejani venceu o primeiro turno com 32,96% dos votos válidos. Custódio teve 26,21%.

Saiba resultados de pesquisas eleitorais na cidade.

O radialista Bejani, que não apareceu em primeiro nas pesquisas de intenção de voto no primeiro turno, tenta voltar à prefeitura depois de ter exercido um mandato entre 1989 e 1992. O petebista tem o apoio do PT.

Além de ex-prefeito, Custódio também fez carreira política na Assembléia Legislativa mineira e na Câmara dos Deputados. Ele conta com o apoio do ex-presidente Itamar Franco (1992-1994).

Leia abaixo os perfis dos dois candidatos:



Bejani
(PTB)
Vice:
José Eduardo Araújo dos Santos (PL)
Coligação:
Frente Trabalhista (PTB, PSL e PL)
Gasto máximo previsto:
R$ 800 mil

O radialista Carlos Alberto Bejani, 54, nasceu em São Gonçalo (RJ) no dia 27 de setembro de 1950.

Ele tenta se eleger novamente para o cargo de prefeito de Juiz de Fora, o qual já ocupou entre 1989 e 1992.

Na eleição de 1998, foi eleito pela primeira vez deputado estadual

Conseguiu a reeleição em 2002, para novamente ocupar uma vaga na Assembléia Legislativa de Minas Gerais.









VOTAÇÃO NO 1º TURNO
91.024 dos votos / 32,96%
Custódio de Mattos (PSDB)
Vice:
Antônio Carlos Guedes Almas (PSB)
Coligação:
Juiz de Fora em Primeiro Lugar (PP, PSC, PFL, PAN, PTC, PSB, PV, PSDB e PT do B)
Gasto máximo previsto:
R$ 950 mil

Custódio Antônio de Mattos, 56, nasceu em Bicas (MG) em 3 de abril de 1948. É advogado e mestre em administração pública.

Começou sua vida pública como diretor do Instituto de Pesquisa de Planejamento, órgão ligado à Prefeitura de Juiz de Fora, de 1983 a 1986. Também foi secretário-adjunto da Prefeitura de Belo Horizonte entre 1988 e 1989 e diretor do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) de 1997 a 1998.

Foi eleito deputado estadual em 1990. Em 1992 foi eleito prefeito, sucedendo Bejani. Em 1998, foi eleito deputado federal por Minas Gerais e se reelegeu em 2002 para um novo mandadato.

VOTAÇÃO NO 1º TURNO
72.394 dos votos / 26,21%