UOL Notícias Internacional
 

29/04/2009 - 05h29

Criança mexicana é a primeira vítima fatal da gripe suína nos EUA

Do UOL Notícias*
Em São Paulo
*Atualizado às 11h20

O governo dos EUA confirmou na quarta-feira a primeira morte nos Estados Unidos por causa do novo vírus H1N1 da gripe suína: uma criança mexicana de 23 meses que morreu no Estado do Texas.

Comente: você está em alguma área afetada pela gripe suína? O que mudou na sua rotina? Conte-nos.

É a primeira morte por gripe suína registrada fora do México, país mais afetado pelo surto da doença. A criança viajou com a família do México para Brownsville, no sul do Texas, onde ficou doente. De lá, foi levada a um hospital em Houston e morreu na noite de segunda-feira.

O Centro de Controle de Doenças dos EUA confirmou a morte nesta quarta-feira.

Nesta quarta-feira, Alemanha e Áustria confirmaram seus primeiros casos de gripe suína. Com isso, agora onze países têm casos confirmados da doença. Na terça-feira (28), Nova Zelândia e Israel já haviam confirmado casos da doença. Além desses, também foram confirmados casos na Inglaterra, Escócia, Espanha, Canadá, Costa Rica, Estados Unidos e no México, onde a epidemia teria começado.

Prevenção nos aeroportos pelo mundo

  • Jung Yeon-je/AP

    Funcionário de aeroporto de Seul (Coreia do Sul) mede temperatura de bebê que chegou ao país

O vírus H1N1 da gripe suína já foi detectado em quatro continentes. O novo caso detectado na Alemanha é de uma pessoa moradora do sul da Bavária. As autoridades alemãs haviam anunciado na terça-feira que três pessoas estavam sendo testadas por possível contaminação pelo vírus da gripe suína, mas não se sabe se o caso confirmado é de uma delas.

No caso da Áustria, uma mulher que fez uma viagem à Guatemala com uma rápida escala no México contraiu a doença.

O Ministério da Saúde informou que os exames virológicos confirmaram que uma austríaca de 28 anos, internada num hospital de Viena, foi infectada pelo vírus H1N1.

Na Inglaterra, o primeiro-ministro britânico Gordon Brown, anunciou nesta quarta-feira que três novos casos de gripe suína foram confirmados, um deles em uma menina de 12 anos.

A escola onde a garota estuda foi provisoriamente fechada, e os alunos estão sob observação e tomando medicamentos.

O governo do México havia confirmado na terça-feira 20 mortes por gripe suína, mas posteriormente retificou a informação e disse que apenas sete foram confirmadas por testes laboratoriais.

De acordo com o secretário de Saúde mexicano, José Ángel Córdova, os sete casos comprovados foram registrados em duas delegações (distritos) da capital mexicana: Tlalpan (6) e Magdalena Contreras (1), localizados na zona sul dessa urbe de nove milhões de habitantes, quase 19 milhões se somada sua região metropolitana.

  • Adriana Zehbrauskas/The New York Times

    Segundo o governo mexicano, Edgar, de 5 anos, é a primeira pessoa que se tem conhecimento que pegou o vírus da gripe suína


"Neste momento, estão sendo examinados os exames clínicos dos pacientes com casos suspeitos da gripe suína, e nas próximas 24 horas poderemos saber os resultados de 150 casos", disse.

De todos os pacientes suspeitos, esclareceu o ministro mexicano, foi possível "constatar com absoluta certeza a existência de 26 casos", dos quais sete morreram.

Segundo as autoridades mexicanas, há 159 mortes por suspeita de gripe suína até agora, com cerca de 1.600 casos de suspeita de contágio pelo vírus no total.

Coreia do Sul

Autoridades sanitárias sul-coreanas anunciaram hoje cinco novas suspeitas da gripe suína no país. Segundo o Centro para o Controle de Doenças da Coreia do Sul, nove pessoas que retornaram recentemente de México e Estados Unidos apresentavam sintomas da gripe suína, por isso foram submetidas a exames para determinar seu estado.

Em quatro destes pacientes a doença foi descartada, mas outros cinco estão sendo examinados para determinar se estão contaminados pelo vírus A/H1N1, uma variante da tradicional cepa H1N1 que mutou dos porcos aos humanos.

Canadá

No Canadá, o número de casos confirmados de gripe suína subiu para 13, todos "leves", de acordo com a ministra de Saúde do país, Leona Aqlukkag. Segundo ela, todos os infectados viajaram recentemente ao México. O governo recomendou a seus cidadãos que evitem visitar o país. Agências de turismo atenderam a recomendação e adiaram viagens programadas.


Reunião de emergência

A Organização Mundial da Saúde (OMS) convocou uma reunião de emergência para esta quarta-feira com especialistas para discutir a situação e avaliar a natureza exata do foco de gripe.
No início da semana, a OMS havia advertido de que o vírus não pode mais ser contido e que os governos devem agora se focar em medidas para amenizar seus efeitos.
A organização advertiu, porém, que medidas como proibição de viagens não devem ter nenhum efeito prático.

Ainda ontem (28), a OMS também afirmou que o recente surto de gripe suína pode levar a uma pandemia branda, mas alertou que a pandemia de 1918, causada com a gripe espanhola, que deixou dezenas de milhões de mortos, começou da mesma forma.

"A pior pandemia do século 20 aconteceu (...) em 1918 e também começou como uma pandemia relativamente branda que não chegou a ser muito notada na maioria dos lugares. Depois, ela se tornou uma pandemia bastante séria, um dos mais sérios episódios de doenças contagiosas já registrados", afirmou o diretor-geral adjunto para segurança sanitária da OMS, Keiji Fukuda.

A doença foi detectada pela primeira vez no México em meados de abril, espalhando-se depois por outros países.

Situação no Brasil

O Ministério da Saúde anunciou na noite de terça-feira, que segue monitorando 20 pacientes que estiveram em áreas afetadas pela gripe suína e que apresentaram alguns dos sintoma da doença ou mantiveram contato com pessoas com essas características.

São 3 casos no Amazonas, 2 na Bahia, 3 em Minas Gerais, 1 no Pará, 4 no Paraná, 2 no Rio de Janeiro, 2 no Rio Grande do Norte e 3 em Santa Catarina. Dois casos inicialmente acompanhados foram descartados em São Paulo: um dos pacientes tinha sinusite e o outro não apresentava febre.

Todos esses casos foram notificados por autoridades sanitárias estaduais ao Ministério da Saúde. Nenhum deles se enquadra na categoria de "caso suspeito" definida pela Organização Mundial da Saúde.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que vai ampliar a inspeção em voos de países com casos de gripe suína.

Saiba mais sobre a doença



O vírus da gripe suína afeta tipicamente porcos, não humanos. No entanto, o vírus sofreu mutações com misturas entre vírus que atacam suínos, aves e humanos.

O vírus H1N1 é a mesma variedade que causa epidemias de influenza em humanos. É transmitido, entre pessoas, principalmente por espirros e tosses.

Os sintomas são febre superior a 39ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Embora já existam remédios que pareçam ser eficazes contra o vírus, especialistas querem saber a razão de algumas pessoas ficarem gravemente doentes enquanto outras apresentam apenas sintomas mais leves de gripe.

Para evitar a contaminação, o Ministério da Saúde pede que as pessoas não compartilhem alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal. Recomenda-se também lavar as mãos com frequência, por 15 a 20 segundos, usando água e sabão ou até gel à base de álcool, especialmente depois de tossir ou espirrar, evitando levar a mão aos olhos, ao nariz ou a boca.

Saiba como a gripe suína se espalha entre humanos

Gripe suína deve chegar ao Brasil, diz infectologista David Uip



*Com BBC Brasil, Folha Online e EFE

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,11
    3,930
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h26

    1,39
    94.578,26
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host