UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

13/12/2007 - 14h14
Nasce uma nova Europa, diz Comissão Européia sobre Tratado

Lisboa, 13 dez (Lusa) - O presidente da Comissão Européia, Durão Barroso, considerou nesta quinta-feira que a assinatura do Tratado de Lisboa marca o "nascimento de uma nova Europa" extensiva a 27 Estados e pronta a enfrentar os desafios da globalização.

Durão Barroso falava na cerimônia de assinatura formal do Tratado de Lisboa pelos líderes europeus, que aconteceu no Mosteiro dos Jerônimos.

O presidente da Comissão Européia avisou que, depois de resolver os problemas institucionais, a União Européia prepara-se agora para "enfrentar os problemas globais".

"Agora é o momento de avançar. A Europa deve enfrentar numerosos desafios, tanto internos como externos, e os nossos cidadãos querem resultados. A globalização é o denominador comum a todos esses desafios", disse Durão Barroso.

A cerimônia de assinatura do Tratado de Lisboa iniciou-se com uma intervenção do chefe do Governo de Lisboa, José Sócrates, na qualidade de presidente em exercício do Conselho Europeu de líderes da UE.

Durão Barroso recordou os seis anos de debate que foram necessários até se chegar ao Tratado de Lisboa e felicitou a "contribuição excepcional" da presidência alemã da UE (primeiro semestre de 2007), assim como a "determinação e competência" da presidência portuguesa (segundo semestre).

A assinatura em Lisboa do novo Tratado europeu promete pôr fim à grave crise política e institucional provocada pelo fracasso da Constituição Européia, rejeitada em França e na Holanda, e constitui o grande sucesso da atual presidência portuguesa da UE, que termina no fim do mês e ficará na história do processo de integração européia.

O presidente da Comissão Européia destacou que o Tratado de Lisboa "reforça" a capacidade da UE de agir e alcançar os objetivos que definir, permitindo ir ao encontro dos anseios dos cidadãos europeus.

"O Tratado de Lisboa também irá reforçar a democracia e o método comunitário [de tomada de decisões], dando mais competências ao Parlamento Europeu", considera Durão Barroso.

Com a assinatura do novo Tratado da UE, inicia-se o obrigatório processo de ratificação do documento em todos os Estados-membros, sem exceção, por via parlamentar ou em referendos, condição prévia à sua entrada em vigor.

Os dirigentes da União fixaram como objetivo a entrada em vigor do Tratado de Lisboa em 1° de janeiro de 2009, antes das próximas eleições européias de junho do mesmo ano.

Vinte e dois anos depois, os Claustros dos Jerônimos voltaram a acolher um momento marcante para Portugal e para a Europa comunitária, depois de a 12 de junho de 1985 terem sido o palco da assinatura do Ato de Adesão de Portugal à então Comunidade Européia, conhecida pela siga CEE.

Os líderes da União Européia voltam a se reunir em Bruxelas, na sexta-feira, para a habitual cúpula formal de fim de ano, onde discutirão a estratégia do bloco europeu para enfrentar os desafios da globalização e farão a avaliação de crises internacionais, como as de Kosovo e dos refugiados no Sudão.

UOL Celular

Acompanhe as notícias do UOL no seu celular: wap.uol.com.br


Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA