UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


Política

08/05/2006 - 16h55
Mercadante é o candidato do PT ao governo de SP; leia perfil do senador

Da Redação
Em São Paulo

Eduardo Knapp / Folha Imagem

O senador Aloizio Mercadante vota nas prévias do PT em SP

O senador Aloizio Mercadante vota nas prévias do PT em SP

O senador Aloizio Mercadante venceu a ex-prefeita Marta Suplicy nas prévias do PT e é o candidato do partido ao governo de São Paulo. O senador obteve 52,8% dos votos nas eleições internas que aconteceram neste fim de semana.

Mercadante enfrentará o tucano José Serra, que desponta como favorito nas pesquisas de opinião, que mostravam a ex-prefeita Marta Suplicy mais bem colocada que o senador na intenção de voto dos paulistas.

O quórum da votação ficou abaixo do esperado pelo diretório estadual, que contava com 80 mil votantes. Um total de 192.960 militantes estavam aptos a votar nas prévias de ontem.

O vice de Mercadante na chapa ao governo deve ser do PMDB, segundo o presidente estadual do PT, Paulo Frateschi.

Perfil
Aloizio Mercadante é paulistano e faz aniversário nesta semana: ele nasceu em 13 de maio de 1954. Formado em Economia pela USP (Universidade de São Paulo), tornou-se mestre e doutor na área pela Unicamp (Universidade de Campinas). É professor licenciado da Unicamp e da PUC-SP.

Mercadante foi um dos fundadores do PT, em 1980. Chegou a ocupar a vice-presidência nacional da legenda e foi seu secretário de Relações Internacionais. Participou da elaboração do programa de governo de Lula em todas as eleições presidenciais até agora (1989, 1994, 1998 e 2002).

O senador participou do movimento estudantil na década de 70 e, anos depois, foi vice-presidente da Andes (Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior). Mercadante também colaborou com sindicatos de metalúrgicos e com a CUT (Central Única dos Trabalhadores).

A primeira vitória nas urnas foi em 1990, aos 36 anos, Mercadante foi eleito deputado federal com a maior votação entre os candidatos do PT. Na primeira metade dos anos 90, o petista participou ativamente de duas CPIs: a de PC Farias, que culminou com o processo de impeachment do então presidente Fernando Collor, e a do Orçamento, que resultou na cassação de parlamentares envolvidos em fraudes com recursos da União.

Em 1994, Mercadante foi escalado para vice-presidente na chapa de Lula em substituição a José Paulo Bisol (PSB), alvo de denúncias. Embora iniciasse a campanha de 1994 liderando as pesquisas, Lula perdeu a eleição para Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Sem mandato, Mercadante disputou uma vaga na Câmara em 1998 e foi o terceiro deputado federal mais votado do país, com 241.559 votos. Presidiu a Comissão de Economia, Finanças e Tributação da Câmara e liderou a bancada do PT, destacando-se como uma das principais vozes da oposição ao governo FHC.

Em 2002, Mercadante disputou uma vaga de senador por São Paulo. O petista tinha como adversários Romeu Tuma (PFL) e o ex-governador Orestes Quércia (PMDB). Mercadante começou a disputa bem atrás nas pesquisas e foi crescendo aos poucos, no ritmo do crescimento da popularidade de Lula. Foi o senador mais votado, com 10,5 milhões de votos.

No Senado, Mercadante é autor de diversos projetos relacionados à educação e à juventude. O petista defende 16 anos como idade máxima para proibição ao ingresso a espetáculos e diversões. Também apresentou projeto que torna obrigatório o uso nas escolas públicas de uniforme escolar padronizado. Mercadante também defende o fim da cobrança de taxa de inscrição nos vestibulares de instituições públicas de ensino superior para candidatos que estudaram em escolas públicas.

Mercadante apresentou projeto de lei que institui o "Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil". Também defendeu a distribuição gratuita de medicamentos essenciais ou de uso continuado a pessoas pobres.

Na área da economia, apresentou projeto de lei para que os empregados escolham o banco e a agência em que as empresas depositam seus salários. Ainda sobre diretos dos trabalhadores, o petista é autor de projeto que estabelece reserva de vagas para portadores de deficiência nos programas de qualificação financiados pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador.

O senador é autor de proposta de emenda constitucional sobre a reforma tributária. O petista defende que o sistema tributário brasileiro fique mais progressivo, ou seja, cobre mais, proporcionalmente, dos cidadãos com maior poder aquisitivo. Mercadante também propôs emenda para conferir licença maternidade de cinco dias úteis para mães adotivas.

Entre seus projetos de decreto legislativo, está a proposta de plebiscito para decidir a participação do Brasil na Alça (Área de Livre Comércio das Américas).







ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

 ÚLTIMAS DA POLÍTICA
04/02/2009

12h22- PAC 2 anos: 93% compromissados e 53% pagos

12h21- Governo aumenta previsão de gastos do PAC em R$ 455 bilhões

03/02/2009

21h42- Balanço do segundo ano do PAC deverá ter anúncio de aumento nos investimentos

13h39- Dilma rejeita que PAC seja apenas marketing do governo

30/01/2009

11h10- Fortes diz que obras do PAC no Rio não terão cortes e serão agilizadas

09h09- Para especialista, PAC precisa ser repensado na área de saneamento

29/01/2009

17h06- Governo federal quer agilizar obras do PAC em cinco municípios fluminenses

19/01/2009

14h05- PAC da Segurança tem R$ 1,2 bilhão para 2009

16/01/2009

12h47- Paes vai a Brasília pedir inclusão de obras no PAC

15/01/2009

13h04- Prefeitura do Rio retoma obras do PAC nos Complexos de Manguinhos e do Alemão