UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

07/12/2005 - 12h33
Lula diz que levaria Dirceu para o palanque

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira que não tem pressa para definir sua candidatura à reeleição, mas adiantou que o ex-deputado José Dirceu (PT-SP) faria parte da sua campanha.

Para Lula, está provado que o PT fez caixa dois, mas isentou de culpa o ex-homem-forte do governo.

"Eu levaria o Zé Dirceu para o palanque, até porque ele foi cassado e não foi provado nada contra ele. Ele é um cidadão que perdeu o mandato de parlamentar, mas até agora eu não vi nenhuma acusação que pudesse dizer que o Zé Dirceu cometeu um delito. Vamos esperar então que provem", disse o presidente a emissoras de rádio durante entrevista realizada no Palácio do Planalto.

Dirceu, que teve o mandato de deputado cassado na semana passada, foi acusado de ter chefiado o esquema do mensalão.

"Sou contra a pena de morte na vida política e na vida normal", declarou Lula, ao defender que os julgamentos políticos só ocorram após a conclusão das investigações.

Lula, no entanto, admitiu que o desconhecimento não tira a responsabilidade das autoridades. Segundo ele, diante de uma irregularidade é preciso tomar providências. "O que não pode é abrir mão da responsabilidade. A responsabilidade é minha, é de qualquer ministro".

CAIXA DOIS

Em entrevista de quase duas horas concedida a jornalistas das emissoras Band AM, BandNews FM, CBN e Jovem Pan, o presidente Lula criticou o PT pela prática de caixa dois.

"Houve um crime eleitoral de caixa dois já provado na CPI. Ninguém nega isso. E há inclusive quem já assumiu a responsabilidade por esse crime eleitoral".

O presidente Lula procurou explicar declaração dada no auge da crise do mensalão, em agosto, de que havia sido traído. Segundo disse nesta quarta-feira, a traição foi de todo o PT, que praticou aquilo que o partido sempre combateu.

"Existe uma história neste país que o PT não poderia ter entrado (o caixa dois). O PT nasceu para combater isso. Quem fez isso cometeu um erro abominável contra a história do PT", disse.

Ele previu que o partido "vai amargar muitos anos para recuperar a sua história política e sua credibilidade", mas garantiu que estará "ao lado do PT tentando contribuir para que isso aconteça".

CANDIDATO

Apesar de já ter dado todas as dicas de que vai concorrer às eleições de 2006, Lula afirmou na entrevista que ainda não se decidiu. "Não tenho pressa para definir as coisas."

Ele criticou o mecanismo da reeleição, aprovado em 1997, que possibilitou a reeleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). "Sou contra a tese da reeleição. Não é uma boa política", declarou, defendendo o mandato presidencial de cinco anos, um ano a mais do que o atual.

O presidente ainda discorreu sobre economia, ao afirmar que vai manter a atual política, não fará aventuras no ano eleitoral de 2006 e nem trocará a equipe.

Esta foi a terceira entrevista de Lula a jornalistas de rádio. As anteriores ocorreram nos dias 18 e 24 de novembro.

(Por Carmen Munari)

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS   IMPRIMIR   ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA