UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 Internacional

10/01/2006 - 09h10
Custo da guerra no Iraque pode chegar a US$ 2 tri, diz estudo

Por Jason Szep

BOSTON, Estados Unidos (Reuters) - O custo da guerra no Iraque poderia ultrapassar a casa dos 2 trilhões de dólares, uma cifra bastante superior às projeções feitas pelo governo norte-americano antes do conflito, afirmou um estudo divulgado na segunda-feira.

Esse número inclui, entre outros gastos, aqueles previstos com a assistência médica para milhares de soldados dos EUA feridos na guerra.

O economista Joseph E. Stiglitz, da Universidade Columbia, e a professora Linda Bilmes, de Harvard, somaram em seu estudo a previsão de gastos com os 16 mil soldados norte-americanos feridos no conflito -- desses, cerca de 20 por cento sofreram danos cerebrais graves ou ferimentos na coluna vertebral.

Segundo os estudiosos, os contribuintes norte-americanos terão de carregar o fardo da guerra muitos anos depois da retirada dos soldados do Iraque.

"Mesmo adotando uma postura conservadora, ficamos surpresos com o tamanho deles", afirmou o estudo, referindo-se aos custos totais da guerra. "Podemos dizer, com algum grau de confiança, que eles ultrapassam a casa dos 1 trilhão de dólares."

Antes da invasão do Iraque, o então diretor do governo para o Orçamento, Mitch Daniels, previu que esse seria um "empenho realizável" e rejeitou uma estimativa feita pelo então assessor de economia do governo Lawrence Lindsey, segundo o qual os EUA gastariam entre 100 bilhões e 200 bilhões de dólares.

Segundo Daniels, esse era um número "muito, muito alto".

Entre os custos antes não computados estão os envolvidos na recuperação de Forças Armadas sobrecarregadas por várias missões, um crescimento menor da economia norte-americana no longo prazo e os gastos com o tratamento médicos de veteranos da guerra.

Stiglitz, que ganhou o Prêmio Nobel de Economia em 2001, e Bilmes disseram que cerca de 30 por cento dos soldados norte-americanos haviam desenvolvido problemas de saúde mental nos três ou quatro meses que se seguiram à volta do Iraque. Os dados seriam fornecidos pelas Forças Armadas dos EUA.

Os pesquisadores basearam suas projeções parcialmente em guerras ocorridas no passado e incluíram entre os custos o aumento no preço do petróleo, o aumento do déficit norte-americano e uma maior insegurança no cenário mundial decorrente do conflito.

A projeção é de que os custos cheguem a 2 trilhões de dólares se os soldados norte-americanos continuarem no Iraque até 2010.

Segundo a tenente coronel Roseann Lynch, uma porta-voz do Pentágono, a guerra no Iraque havia custado até agora aos cofres públicos 173 bilhões de dólares.

Stiglitz foi conselheiro do ex-presidente Bill Clinton, um adversário de Bush.

(Com reportagem de Charles Aldinger em Washington)

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA