UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 Internacional

03/03/2006 - 19h06
Colômbia aponta ligação entre Farc e grupo paraguaio

ASSUNÇÃO (Reuters) - O vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, disse na sexta-feira que há evidências de vinculação entre a guerrilha local Farc e grupos acusados de cometer sequestros no Paraguai.

Santos deu aval a investigações de promotores paraguaios que relacionaram os indiciados pelo sequestro e assassinato da filha do ex-presidente paraguaio Raúl Cubas, no começo de 2005, a um líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Membros desse mesmo grupo, um minoritário partido de esquerda sem representação parlamentar, foram condenados pelo sequestro da esposa de um empresário no final de 2001.

A presença de grupos armados de esquerda voltou a ser tema de debate no Paraguai há algumas semanas, quando o vice-ministro de Segurança Interna, Mario Sapriza, disse que há no norte do país movimentos radicais "dispostos a tomar o poder mediante a luta armada".

"Isso afinal será decidido por um juiz, mas se você me pergunta como cidadão e como conhecedor do caso, estou absolutamente seguro [que há ligações]", disse Santos em entrevista coletiva. "A evidência é tão contundente que a mim não deixa nenhuma dúvida."

O vice-presidente concluiu na sexta-feira uma visita de dois dias a Assunção, onde avaliou com seu colega paraguaio, Luis Castiglioni, o andamento de um plano de segurança mantido por ambos os governos desde meados de 2005.

Santos disse que o programa foi bem-sucedido, por permitir a capacitação de 180 funcionários paraguaios de diversas instituições na Colômbia, além da chegada de técnicos especializados desse país ao Paraguai.

O plano foi firmado pelos presidentes Álvaro Uribe e Nicanor Duarte Frutos pouco depois do assassinato de Cecília Cubas.

A promotoria afirmou na época que o principal réu do caso, Omar Martinez, se havia comunicado reiteradas vezes por email com o "chanceler" das Farc, Rodrigo Granda, em busca de assessoria nas negociações com a família Cubas.

"Como dizemos na Colômbia: se é branco, foi posto pela galinha e se come frito, então é ovo. Aqui foi posto pela galinha, é branco e não comemos frito", disse Santos.

Em fevereiro, o governo paraguaio reforçou a presença policial no Departamento de Concepción, após o assassinato de um agente que participou da prisão de seis pessoas acusadas de transportar explosivos e munições.

Três dos presos eram familiares dos acusados e condenados pelos sequestros.

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA