UOL Notícias Cotidiano
 

03/06/2009 - 12h05

Navio da Marinha brasileira chega à região dos destroços do Airbus

Do UOL Notícias*
Em São Paulo e em Brasília
Atualizada às 16h20

O navio patrulha Grajaú, da Marinha do Brasil, chegou antes das 10h na região onde a Força Aérea Brasileira (FAB) localizou os destroços do Airbus, de acordo com informações da FAB. A embarcação está sendo monitorada por aviões da Aeronáutica e até agora não localizou partes da aeronave da Air France, que transportava 228 pessoas quando se acidentou no oceano Atlântico.
  • AP

    Airbus A330-200 saiu do Rio de Janeiro com destino a Paris



O Grajaú deixou Natal (RN) na segunda-feira (1º) de manhã. Outros quatro navios da Marinha partiram em direção à região. A fragata Caboclo zarpou de Maceió e deve chegar ao ponto indicado por volta de meio-dia de quinta-feira (4). Um terceiro navio, a fragata Constituição, partiu de Salvador e também deve chegar amanhã (4). Ontem, mais dois navios militares foram deslocados para os locais das buscas. Além de uma fragata, um navio-tanque com capacidade para cerca de 4 milhões de toneladas de óleo vão se somar às outras três embarcações.

Cada fragata leva dois mergulhadores preparados para buscas e trabalhos em águas profundas. De acordo com o contra-almirante Domigos Savio Nogueira, o navio-tanque Gastão Mota vai permitir que os navios permaneçam em alto-mar por tempo indeterminado. "Não se sabe ainda quanto tempo esses navios precisarão permanecer numa distância tão longa. E uma hora eles vão precisar ser reabastecidos", disse Nogueira.

Além deles, dois navios mercantes - um holandês e um francês - estão auxiliando na busca de destroços. Um terceiro navio, também de bandeira holandesa, solicitou deixar a área às 11h por falta de combustível. As condições do local, segundo a Marinha, são: ondas de até 1 m, vento de 10 nós, correnteza a noroeste de 0,8 nós, visibilidade regular e chuvas esparsas.

O material coletado será levado pelas embarcações da Marinha a até 250 km de Fernando de Noronha (PE). De lá, helicópteros levarão o material até a ilha, onde peritos da Polícia Federal (PF) e do Instituto Médico Legal (IML) farão uma primeira análise. De acordo com o coronel, posteriormente, o material será levado a Recife para uma análise mais aprofundada.

É possível, segundo militar Marcelo Moura, da Marinha, que cada helicóptero recolha três corpos por vez, desde que estejam em uma área próxima ao arquipélago, em função da limitada autonomia de voo. Um grupo de cinco médicos e legistas é esperado hoje em Fernando de Noronha, enviado pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, para ajudar na identificação das vítimas que forem, eventualmente, encontradas.

Amaral afirmou nesta manhã que a aeronave R-99 da FAB identificou, às 3h40 (horário de Brasília), mais quatro pontos de destroços, a 90 km da região em que caiu o Airbus da Air France com 228 pessoas a bordo. Segundo o coronel, foram localizados vários objetos espalhados numa área circular de 5 km de raio, entre eles, um objeto de 7 m de diâmetro e dez objetos metálicos. O avião da Aeronáutica identificou também uma mancha de óleo de 20 km de extensão.

*Com informações da EBC e da Agência Brasil

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h09

    0,46
    3,172
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h14

    0,19
    74.584,40
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host