UOL Notícias Cotidiano
 

07/06/2009 - 10h51

Aeronáutica e Marinha divulgam resgate de mais três corpos de vítimas do voo

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Recife
Atualizada às 11h18

  •  Carlos Madeiro/UOL

    De branco, o capitão-de-fragata Giucemar Tabosa, ao lado do tenente-coronel Henry Munhoz

A Marinha divulgou neste domingo (7) o resgate de mais três corpos de passageiros do voo 447 da Air France. Eles se somam a outros dois encontrados ontem. Os cinco corpos devem chegar nesta segunda-feira (8) a Fernando de Noronha para, em seguida, serem levados para o Recife, onde serão necropsiados no Instituto Médico Legal (IML).

De acordo com Giucemar Tabosa, capitão-de-fragata da Marinha, outros corpos estão sendo avistados pelas equipes e serão recolhidos em breve. "Esses corpos são avistados tanto dos aviões, como pelos barcos", falou em entrevista coletiva no Cindacta 3, em Recife.

Os três corpos foram encontrados pela corveta Caboclo e estão sendo transportados para a fragata Constituição, que fazia o transporte dos corpos encontrados ontem. Segundo a Marinha, ainda não há informações sobre o sexo dos passageiros.

Além dos corpos, foram encontradas mais peças, entre elas, poltronas. De acordo com a Aeronáutica, não há mais dúvidas de que as peças encontradas sejam do Airbus, assim como os corpos.

A Aeronáutica desmentiu a informação repassada de que um corpo foi encontrado preso à poltrona. "Nunca dissemos isso. Por sinal, isso causou ansiedade nos familiares, que esperavam ter o reconhecimento pelo número do assento. É importante frisar que os corpos encontrados estão desvinculados de qualquer documento, não há identificação", afirmou o tenente-coronel Henry Munhoz, da Aeronáutica.

Por conta desse episódio, o oficial disse que informações detalhadas do material encontrado não serão mais divulgadas à imprensa, para não causar ansiedade nas famílias. "Apenas os familiares terão essas informações. Temos centenas de itens que estão sendo recolhidos e armazenados".

A Aeronáutica se colocou ainda à disposição dos parentes para um retorno ao Recife. "Se os familiares desejarem retornar para ter informações de buscas e resgates, estaremos prontos para atendê-los", afirmou Henry, acrescentando que o estado de conservação dos corpos encontrados não será divulgado. "Entendemos que isso não é de interesse público".

Equipes e buscas
De acordo com Giucemar Tabosa, além de cinco navios da Marinha brasileira, as buscas passam a contar a partir de hoje com uma fragata francesa. Neste momento, 14 aeronaves e seis navios participam das buscas.

Assim como acontece desde a terça-feira (2), o sétimo dia de operações teve início por volta das 3h, com a decolagem do avião R-99, que possui um radar especial para rastreio noturno. Em seguida, ao nascer do sol, outras 13 aeronaves (11 delas brasileiras) passam a se revezar em voos em direção às áreas onde foram localizados possíveis destroços ou corpos para visualização.

Quando materiais são avistados, os navios que estão na região são informados e recolhem o que foi encontrado. Segundo a Aeronáutica, a área de buscas de materiais do Airbus já alcança 200 mil km².

Visita do cônsul
Neste sábado à noite (6), o cônsul geral da França para o Nordeste, Yves Lo-Pinto, esteve no Cindacta 3. Ele foi conversar com os oficiais responsáveis pelas operações de buscas e, na saída, falou rapidamente com a imprensa. "Vim aqui para agradecer o empenho da Marinha e Aeronáutica nas buscas", declarou.

Já neste domingo, a Aeronáutica e a Marinha convidaram os jornalistas estrangeiros que estão em Recife para uma "apresentação detalhada" de todas as operações que acontecem no oceano Atlântico.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host