UOL Notícias Cotidiano
 

07/06/2009 - 12h52

Autoridades brasileiras montam operação especial para a chegada de corpos nesta segunda

Carlos Madeiro
Especial para o UOL Notícias
Em Recife
Os cinco corpos de vítimas do acidente no voo AF 447 que foram recolhidos pelas equipes de busca devem chegar a Fernando de Noronha ainda nesta segunda-feira (8). As vitimas serão levadas num avião da Aeronáutica até Recife, onde os corpos serão necropsiados e possivelmente identificados no IML (Instituto Médico Legal). Se necessário, o material genético será colhido para exame fora do Estado.
  • Carlos Madeiro/UOL

    Curiosos observam rua interditada em frente ao prédio do IML de Recife, onde serão necropsiados e possivelmente identificados os corpos das vítimas do voo da Air France



As autoridades pernambucanas montaram uma operação especial para receber e identificar as vítimas do Airbus A330. Recife e Fernando de Noronha (que faz parte do Estado de Pernambuco) estão com estruturas montadas à espera dos primeiros corpos. Já Rio de Janeiro e Brasília vão participar do processo para reconhecimento por meio de exames de DNA, já que Pernambuco não possui essa tecnologia.

Até o meio-dia deste domingo (7), cinco corpos já foram resgatados e estão sendo transportados até o arquipélago de Fernando de Noronha pela fragata Constituição. A previsão de chegada é nesta segunda-feira (8), quando as vitimas devem ser levadas num avião da Aeronáutica até a capital pernambucana. Aqui, eles serão necropsiados e possivelmente identificados no IML (Instituto Médico Legal) do Recife. Se necessário, material genético será colhido para exame fora do Estado.

Segundo o tenente-coronel da Aeronáutica, Henry Munhoz, os corpos vão passar por Fernando de Noronha apenas para uma "preparação". "Todo o trabalho de identificação será feita aqui em Recife pelo IML", afirmou.

Para receber os corpos das vítimas, médicos peritos da Polícia Científica e da Polícia Federal (PF) já estão de plantão em Fernando de Noronha e no Recife. "Os dois primeiros corpos encontrados no sábado deveriam chegar a Noronha hoje, mas deslocamos a Fragata Constituição de volta ao local onde foram resgatados mais três corpos", informou o capitão-de-fragata da Marinha, Giucemar Tabosa.


Segundo a SDS-PE (Secretaria de Defesa Social de Pernambuco), de acordo com a quantidade de corpos encontrados, o IML pode ser fechado exclusivamente para necropsia das vítimas do voo da Air France. Neste caso, os procedimentos de rotina seriam desviados para hospitais públicos do Recife.

Para Noronha foram enviadas câmaras frigoríficas, sacos para corpos e material de laboratório. Além disso, cinco peritos da Polícia Federal e dois da polícia pernambucana chegaram neste sábado para fazerem a preparação dos corpos que forem chegando. "Pernambuco está preparado para qualquer cenário. Estamos contando com o apoio da Polícia Federal e da Aeronáutica", informou o secretário executivo de Defesa Social, Cláudio Lima.

Neste sábado, no Rio de Janeiro, a PF colheu saliva, cabelos e sangue os parentes das vítimas a fim de reconhecimento por meio do DNA. Como Recife não possui laboratório para esse tipo de identificação, o material recolhido dos cadáveres deve ser mandado ao laboratório da PF em Brasília, que ficará responsável pela identificação dos corpos.

Ruas fechadas
Mesmo sabendo que os corpos só devem chegar a partir desta segunda-feira, desde o fim da tarde deste sábado as duas ruas que dão acesso ao prédio, localizado no bairro de Santo Amaro, estão interditadas. O esquema de segurança conta com mais de 10 policiais e guardas municipais, que vão permanecer as 24 horas do dia. Segundo os policiais de plantão, a ordem é que o bloqueio permaneça enquanto existirem as buscas por corpos das vítimas.

Até mesmo os corpos que dão entrada no IML, recolhidos pelas viaturas de Pernambuco, estão sendo deslocados para uma entrada na parte de trás do prédio. "Por esse bloqueio só passam moradores e as pessoas que vão fazer exames, como de corpo de delito. Todo o tráfego está desviado", informou um dos guardas municipais que fazem a segurança no local.

Curiosos já chegam
Enquanto os corpos não chegam, alguns curiosos já estavam de plantão nas proximidade do IML no Recife, à espera da chegada dos corpos. Quem passava pelo local também não resistia e parava para conferir o esquema de segurança.

Primeiro a chegar no local, Gabriel Brasileiro disse que ficou comovido com o acidente e veio "de longe" (ele mora no bairro ao lado) até o IML somente para ver a chegada dos corpos. "Estou vendo o assunto direto na TV e agora aproveitei para ver de perto essa história. Espero conseguir ver alguma coisa", afirmou o encanador, que disse não ter previsão para deixar o local.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h39

    -0,27
    3,267
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h44

    1,35
    62.503,78
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host