UOL Notícias Cotidiano
 

08/06/2009 - 11h32

Marinha e Aeronáutica dizem que foram encontrados 16 corpos de vítimas do voo AF 447; informação anterior falava em 17

Do UOL Notícias*
Em São Paulo
Atualizado às 12h24

Autoridades da Marinha e da Aeronáutica brasileiras afirmaram em coletiva no Recife que foram encontrados 16 corpos de vítimas do acidente com o Airbus da Air France, e não 17, conforme foi divulgado anteriormente. Segundo o capitão de fragata Giucemar Tabosa, assessor de comunicação da Marinha, os corpos encontrados devem chegar a Fernando de Noronha na manhã de terça-feira (9).

MAIS SOBRE O VOO AF 447

  • FAB/Divulgação

    Equipes de resgate recolhem peça da fuselagem do Airbus da Air France; Marinha e Aeronáutica retificaram de 17 para 16 o número de corpos que foram recolhidos


O erro de informação teria sido causado pela dificuldade no resgate dos corpos e o repasse deles aos navios. "Esse resgate é feito por embarcações menores, específicas para esse tipo de operação. A nossa contagem precisa só foi feita após a fragata Constituição receber esses corpos da fragata Ventose (da Marinha francesa)", informou Giucemar.

De acordo com o capitão de fragata, a Ventose resgatou sete corpos, e não oito, conforme informação anterior. A entrega desses corpos à embarcação brasileira aconteceu porque "a Ventose tem capacidade limitada para armazenar os corpos. Só pode armazenar 15", informou.

Por conta do erro de informação, o repasse de informações de corpos resgatados será feito quando eles estiverem de posse da Marinha brasileira.

"Não informaremos mais o sexo dos corpos. Nós temos aqui um compromisso em relação ao repasse dos fatos que estão acontecendo. E ele se torna ainda mais importante, pois ninguém da imprensa está lá para registrar o que está acontecendo", explicou o tenente-coronel da Aeronáutica Henry Munhoz.

Sobre os resultados desta segunda-feira (8), a Marinha disse que as condições climáticas "não atrapalham a operação", mas existem áreas de instabilidade. Mesmo assim, não existem ainda informações sobre resgates nesta manhã. "Temos outros pontos avistados pelas aeronaves, que possivelmente são corpos. Mas não temos a confirmação. Corpos e destroços podem ter sido resgatados e serão informados posteriormente. É preciso dizer que esse processo é dinâmico. Neste momento, a realidade já é outra", disse o tenente-coronel.

VEJA TRECHOS DA ENTREVISTA


As operações desta segunda continuam nos pontos onde foram localizados os corpos, a cerca de 70 km do último local onde o Airbus fez contato com o Cindacta 3 (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo), em Recife.

A Marinha também informou que o navio-patrulha Guaíba passa a substituir, a partir de hoje, o navio-patrulha Grajaú, que retornou a Natal (RN) para abastecimento. O tenente-coronel da Aeronáutica, Henry Munhoz, disse que a aeronave R-99 permanecerá fazendo varredura eletrônica com o objetivo de encontrar outros corpos e destroços do Airbus A330-200.

Munhoz também afirmou que as buscas vão continuar por tempo indeterminado. "Serão feitas quantas viagens forem necessárias", informou a Aeronáutica.

Ao todo, seis navios e 14 aviões participam do trabalho de buscas. No entanto, mais embarcações podem chegar ao local para reforçar as buscas. "A Marinha está preparada para ampliar os meios por conta da ampliação da área de busca, se isso for necessário", informou o capitão de fragata Giucemar.

Chegada
A fragata Constituição deverá chegar amanhã próximo ao arquipélago de Fernando de Noronha, mas o desembarque dos corpos depende das condições climáticas. "Essa fragata está transportando todos os 16 corpos já resgatados. Todos foram transferidos, sem comprometer significativamente a chegada", disse o capitão de fragata.

A Aeronáutica afirma que o resgate de helicóptero pode não acontecer imediatamente após a chegada da fragata ao ponto marcado no oceano (a 300 km de Fernando de Noronha).

"Informações meteorológicas apontam para instabilidade no arquipélago. Isso pode de alguma forma dificultar a chegada dos corpos. O resgate tem que acontecer em uma condição de tempo ideal. Por isso não vamos dar hora específica para essa chegada", informou Henry. "Queremos trazê-los o mais rápido possível ao continente e entregarmos ao IML. É importante frisar também que os corpos são prioridade nesse resgate. Mas a chegada dos navios e a retirada demora um pouco".

Tabosa, da Marinha, disse que assim que os corpos a bordo da fragata Constituição forem levados ao arquipélago, eles passarão por "tratamento pericial inicial" para serem transportados ao Recife. As buscas continuarão de forma ininterrupta nos pontos onde foram encontrados os corpos.

Paralelamente ao resgate dos corpos, peritos da Polícia Federal coletam amostras de DNA dos familiares das vítimas no Rio de Janeiro para agilizar os trabalhos de identificação.

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco garante que o Instituto Médico Legal (IML) de Recife está preparado para receber os corpos das vítimas do acidente do voo 447 da Air France. Uma força-tarefa foi criada para tentar agilizar os trabalhos de identificação das vítimas tão logo os corpos cheguem à capital do Estado.

A busca e o resgate dos corpos é responsabilidade das Forças Armadas brasileiras, a investigação das causas do acidente compete a autoridades francesas e a identificação dos corpos será feita pela Polícia Civil de Pernambuco em conjunto com a Polícia Federal.

Desde ontem, um cerco de policiais civis isola parte da rua onde funciona o IML, no bairro de Santo Amaro, impedindo que populares e até mesmo os jornalistas se aproximem do local. Como a primeira embarcação da Marinha brasileira, a fragata Constituição, só deve chegar a Fernando de Noronha amanhã (9), a quantidade de curiosos presentes ao local era pequena na tarde de ontem (7), a maioria, moradores das proximidades do IML.

Repercussão do caso
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta manhã no programa de rádio "Café com Presidente" que o governo brasileiro continuará o esforço para localizar todos os passageiros e tripulantes do voo AF 447 da Air France.

"Vamos fazer todo o esforço que estiver ao nosso alcance para encontrar tudo o que for possível encontrar", disse, ao encerrar o programa semanal.

"Encontrar os corpos neste momento de dor não vai resolver o problema, mas já é um conforto imenso para a família", disse Lula.

Analistas afirmam que a descoberta de destroços do Airbus A330-200 já devem ajudar nas investigações sobre o acidente, mas dificilmente darão informações conclusivas.



*Com reportagem de Carlos Madeiro, no Recife
Com informações de Agência Brasil e Folha Online

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host