UOL Notícias Cotidiano
 

09/06/2009 - 13h27

Familiares das vítimas do voo AF 447 já estão em novo hotel

André Naddeo
Do UOL Notícias
No Rio de Janeiro
Os parentes das vítimas do voo AF 447, que caiu na costa nordestina brasileira há pouco mais de uma semana quando fazia a rota Rio de Janeiro-Paris, já foram transportados para um novo hotel. Eles trocaram a tranquilidade da zona oeste pelo agitadíssimo centro da cidade, após o Windsor Barra fazer a requisição para atender os hóspedes que vão participar de um congresso no local. Os familiares estão agora na filial da rede, o Hotel Guanabara.

Primeiros corpos chegam a Noronha

  • Evaristo Sá/AFP

    Integrantes da Aeronáutica carregam corpo de vítima do voo AF 447 da Air France, após retirá-lo de helicóptero, em Fernando de Noronha (PE)



Segundo o advogado Marco Túlio Moreno, que perdeu os pais na tragédia, cerca de 20 pessoas estão no hotel reunidas em busca de informações sobre o resgate dos corpos. No entanto, muitas famílias nem estão mais no local. Grande parte, como Moreno, preferiu ficar em casa para acompanhar os últimos boletins da Marinha e Aeronáutica.

"Fica uma coisa meio maçante. A gente só recebe dois boletins por dia, um por volta de 11h e outro às 19h. Nesse meio tempo fica aquela angústia. Então, as pessoas estão tentando voltar para as suas vidas na medida do possível", disse o advogado.

A concentração de curiosos no novo hotel é enorme com a presença da imprensa. A todo o momento um transeunte chega com a pergunta na ponta de língua para algum jornalista: "Quem é que está aí?".

Reconhecimento dos corpos
Marco Túlio aproveitou a coletiva de imprensa com os jornalistas para explicar que nenhum parente será obrigado a reconhecer o corpo de seu familiar por foto. O exame de DNA, além das informações colhidas pela Polícia Federal acerca de tatuagens, cicatrizes, vestimentas, entre outros, serão os fatores determinantes do processo.

"Não será feito reconhecimento por foto. Se algum corpo for reconhecido, os parentes serão chamados e aí, sim, se eles quiserem verão imagens do corpo. Ninguém será obrigado. Foi o que me passaram", explicou.

A Polícia Federal anunciou nesta terça-feira (9) que já fez a requisição da fita com as imagens do embarque, no Aeroporto Internacional Tom Jobim, dos passageiros no voo AF 447 da Air France no dia 31 de maio. Será uma prova fundamental para um determinado parente entrar com o pedido de certidão de óbito mesmo se o corpo não vier a ser encontrado.

Segundo o código civil de 2002, a Justiça deve declarar a morte de uma pessoa "se for extremamente provável a morte de quem estava em perigo de vida".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,71
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,12
    68.634,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host