UOL Notícias Cotidiano
 

15/06/2009 - 13h57

Lula diz que governo francês se compromete a indenizar famílias de vítimas de voo

Do UOL Notícias*
Em São Paulo
Atualizado às 16h34
  • Renato Stuckert/PR

    Lula e Sarkozy se encontraram nesta segunda (15) em Genebra, onde participam da Convenção Internacional do Trabalho


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que o governo francês se comprometeu a indenizar as famílias das vítimas do Airbus A330 da Air France, que caiu no oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo. A declaração foi feita durante visita a Genebra, na Suíça, onde Lula se encontrou com o presidente francês Nicolas Sarkozy pela primeira vez desde o acidente.

"Ele [Sarkozy] disse que a França vai assumir a responsabilidade pelo pagamento de indenização para todas as famílias que sofreram com o acidente, sejam brasileiras, francesas ou de outros países", disse Lula.

No entanto, um representante da Air France que pediu para não ter seu nome divulgado afirmou à agência Associated Press que a questão das indenizações está sendo tratada pela companhia aérea e sua seguradora, e não pelo governo francês. Uma porta-voz do Ministro dos Transportes da França também negou que as compensações serão pagas pelo governo.

O palácio presidencial francês não comentou o assunto, assim como a missão francesa que está em Genebra para a Conferência Internacional do Trabalho. A convenção de Montreal, criada em 1999, determina que a indenização das famílias é de responsabilidade da companhia aérea.

A Air France receberá € 67,4 milhões de companhias de seguro pela perda do Airbus. Segundo porta-voz da Axa Corporate Solutions, que detinha 12,5% da apólice, a aeronave estava coberta por várias companhias.

A Axa Corporate Solutions, filial do grupo francês AXA, terá de pagar € 8,4 milhões à Air France. De acordo com a porta-voz, os parentes das vítimas que têm direito a serem indenizados pelo desastre aéreo ainda não se manifestaram.

Substituição dos sensores
Um oficial do sindicato dos pilotos afirmou nesta segunda-feira que a Air France já substituiu todos os sensores de velocidade em sua frota de Airbus A330 e A340.

JP Online - Aviões da Air France substituem os tubos pitot

As investigações sobre a causa do acidente no voo 447, ocorrido na noite do dia 31 de maio, indicam que os sensores externos de velocidade do Airbus - chamados de pitot - podem ter congelado e dado uma falsa noção para os computadores do avião.

A Air France afirmou que mudaria os pitots nas aeronaves A330 e A340 até o fim deste mês, após os pilotos reclamarem que as substituições, que começaram em maio, não estavam acontecendo na velocidade esperada.

"Toda a frota está equipada desde o fim da semana passada com sensores BA da Thales", disse Erick Derivry, porta-voz do SNPL, principal sindicato da Air France.

O avião que caiu estava equipado com o antigo modelo AA, que já estava sendo substituído antes mesmo do acidente.

Entretanto, apesar das investigações sobre uma possível quebra do pitot como causa do acidente, Derivry afirmou que "ainda não ficou provado que o modelo AA foi a origem da queda do Airbus."

A Air France ainda não confirmou a troca dos sensores de velocidade em sua frota de Airbus.

O CEO da empresa, Tom Enders, disse nesta segunda-feira que a família de aeronaves A300 é "uma das aeronaves mais seguras". "O histórico [dos aviões] é muito, muito impressionante. Temos nos 330, por exemplo, mais de 16 milhões de horas de voo, mais de 3 milhões de voos, e esta é até o momento uma das aeronaves comerciais mais seguras", afirmou o executivo no Salão de Le Bourget, em Paris. A feira de aviação completa 100 anos nesta edição.

"Estamos apoiando a investigação [do voo AF 447] tanto quanto podemos e esperamos que as caixas-pretas sejam encontradas logo, para que possamos descobrir o que realmente aconteceu neste trágico voo", completou Enders.

Um navio holandês carregando um equipamento de alta tecnologia da Marinha americana começou hoje os trabalhos de busca às caixas-pretas do avião na área do oceano Atlântico onde se concentram as operações de resgate. O equipamento é capaz de captar uma espécie de bipe emitido pela caixa-preta, facilitando a localização da peça.

"Temos um tempo limitado para percorrer a área de buscas", disse Willie Berges, comandante da missão das Forças Armadas americanas que ajudam nas buscas. O bipe emitido pelas caixas-pretas duram 30 dias desde a data do acidente. Porém, Berges afirmou que a equipe americana continuará procurando pelos gravadores do Airbus A330 mesmo após este período.

Resgate dos corpos
A Marinha e a Aeronáutica informaram no domingo (14) que foram resgatados 49 corpos. Em nota, os comandos das duas forças comunicaram que o número total de corpos transportados para Recife é de 43 e não 44, como havia sido informado. O número foi alterado depois de pré-identificação realizada por peritos da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco.

O brigadeiro Ramon Borges Cardoso, diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), disse que não há prazo para o encerramento das buscas. O último resgate de corpos das vítimas do acidente aéreo foi realizado na sexta-feira (12) pela Marinha da França. Os seis corpos recolhidos pelas autoridades francesas foram transferidos para a fragata brasileira Bosísio e devem chegar a Fernando de Noronha (PE) para pré-identificação amanhã (16).

Centenas de destroços do Airbus chegaram ontem ao Porto do Recife. As peças não apresentavam sinais de queimadura. Entre o material resgatado está parte do estabilizador da aeronave, que foi encontrada no dia 3.

*Com informações de AP, AFP e Agência Estado

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host