UOL Notícias Cotidiano
 

26/06/2009 - 19h11

Após 26 dias, Forças Armadas anunciam fim das buscas por corpos e destroços do voo AF 447

Do UOL Notícias
Em São Paulo
Atualizada às 19h41


Após 26 dias de buscas no oceano Atlântico, as Forças Armadas anunciaram o fim das operações de recuperação de corpos e destroços do Airbus A 330-200 da Air France. O comunicado foi feito no fim da tarde desta sexta-feira (26) em entrevista coletiva no Recife (PE). Ao todo, foram resgatados os corpos de 51 passageiros do voo AF 447, além de centenas de peças do avião.

É cedo para encerrar as buscas pelo voo AF 447?



O tenente-coronel Henry Munhoz, assessor de comunicação da FAB, afirmou que há nove dias corpos não são avistados no mar, e descartou a possibilidade de encontrar mais vítimas do acidente.

O Airbus caiu no oceano Atlântico no fim da noite do dia 31 de maio com 228 pessoas a bordo enquanto fazia a rota Rio-Paris. Desde então Aeronáutica e Marinha do Brasil estão na região, em operação que também contou com o auxílio da França.

Segundo Munhoz, mais de 600 destroços - entre componentes estruturais da aeronave e bagagens diversas - foram recolhidos durante o período das buscas, realizadas em uma área que corresponde a oito vezes o território do Estado de São Paulo.

Nos últimos 15 dias, no entanto, apenas dois corpos foram resgatados, segundo a FAB. "Desde o início nosso objetivo era encontrar as 228 pessoas. Até hoje, nossas aeronaves seguiam com botes e suprimentos de alimentação caso alguém fosse localizado. Mas nós temos a plena consciência de que o melhor foi feito pela Aeronáutica e Marinha", afirmou o tenente-coronel.

De acordo com a FAB, as embarcações que procuram captar emissões da caixa-preta da aeronave permanecem na área de buscas. Os destroços da aeronave e as bagagens recolhidas foram entregues ao Bureau D´Enquêtes et D´Analises Pour la Securité de I´Aviation Civile (BEA), da Marinha francesa.

Mais sobre as buscas

  • Aldo Carneiro/AE

    No dia 22, o navio Almirante Gastão Motta chegou ao Recife trazendo destroços (foto) e o corpo da 50ª vítima do acidente



Segundo a FAB, a investigação sobre os fatores que contribuíram para o acidente é de responsabilidade do BEA, que tem o apoio do setor correspondente no Brasil, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Números das buscas
Durante a operação, a FAB utilizou 12 aeronaves e teve apoio de aviões da França, Estados Unidos e Espanha, que realizaram 1.500 horas de voo, sobre uma área de buscas visuais de 350 mil km², aproximadamente três vezes a dimensão de Pernambuco.

O avião R-99, da FAB, realizou busca eletrônica numa área correspondente a 2 milhões de km², área equivalente a oito vezes o território de São Paulo. Segundo o capitão Giucemar Tabosa, a Marinha do Brasil atuou com 11 navios que navegaram cerca de 35 mil milhas. Foram diretamente envolvidos na operação 1.344 militares da Marinha do Brasil e 268 da FAB.

Últimos corpos identificados
O IML (Instituto Médico Legal) de Recife confirmou nesta quinta-feira (25) a chegada do 51º corpo, que foi entregue pela Marinha aos peritos de Pernambuco e da Polícia Federal na terça-feira (23).

Ontem, a PF informou em nota que foram identificados mais três corpos de vítimas do acidente com o Airbus. Os três são de estrangeiros, dois do sexo masculino e um do feminino. A identificação foi feita a partir de exames odontológicos. A pedido dos familiares, as nacionalidades das vítimas não serão divulgadas.

Até o momento, os peritos federais e da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco já identificaram 14 dos 51 corpos resgatados.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h49

    0,12
    3,161
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host