UOL Notícias Cotidiano
 

31/07/2009 - 10h45

Airbus estuda financiar terceira busca dos destroços do voo 447

Do UOL Notícias*
Em São Paulo
A fabricante aeronáutica Airbus está estudando o financiamento de uma terceira busca no Oceano Atlântico, caso a segunda fracassar para encontrar os destroços do voo 447 da Air France, que fazia o trajeto entre Rio de Janeiro e Paris e caiu no mar em junho provocando a morte de 228 pessoas, diz a CNN.

A Airbus está discutindo o pagamento de € 12 milhões a € 20 milhões para uma terceira busca, mas ainda é cedo para se estabelecer um valor, disse o porta-voz da companhia, Stefan Schaffrath. "Estamos prontos para dar um valor significativo, o quanto for necessário", disse à CNN.

A companhia deseja compreender o que causou o acidente. "Nossa prioridade é aumentar a segurança na aviação. A comunidade aeronáutica pode aprender com o acidente", disse Schaffrath.

Investigadores franceses começaram a segunda fase de buscas aos destroços do avião da Air France na quinta-feira. Usando duas unidades submersíveis e um sonar, as equipes de busca irão procurar destroços no solo do mar que poderiam indicar a localização da caixa-preta do avião.

Airbus recomenda "medida de precaução"
A Airbus também disse hoje que a recomendação para que as companhias aéreas troquem os sensores de velocidade dos modelos da família A330/A340 é "uma medida de precaução".

Em declarações à agência de notícias EFE, uma porta-voz da empresa afirmou que a recomendação não é de cumprimento obrigatório e foi feita após contatos com a Agência Europeia de Segurança Aérea (Easa, na sigla em inglês).

O conselho para que as companhias de aviação troquem pela marca Goodrich os sensores de velocidade Thales, objeto de polêmica após a queda de uma aeronave em águas brasileiras no começo do mês passado, foi feita ontem.

De acordo com a porta-voz da fabricante aeronáutica, a recomendação, que vale para cerca de 200 dos mil aparelhos A330/A340 em operação no mundo, não antecipa o fim das investigações do acidente no Brasil.

A funcionária destacou ainda que os sensores Thales "estão certificados" e que a Airbus acredita que este fabricante de peças apresentará uma solução para as recentes experiências registradas com sensor.

A sugestão de troca não foi estendida à família A320, cujos modelos só têm um corredor, porque não foram identificados indícios de possíveis falhas na peça.

Questionada se o motivo que levou a Airbus a recomendar a troca teria sido a formação de uma camada de gelo sobra o sensor, o que o inutilizaria, a porta-voz respondeu: "Não analisamos todas as causas, mas os incidentes".

* Com informações da CNN e da EFE

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host