PUBLICIDADE
Topo

Vídeo mostra diarista atingida por tiros em Sorriso; PMs seriam autores

Bruna Barbosa Pereira

Colaboração para o UOL, em Cuiabá

21/01/2020 15h20Atualizada em 22/01/2020 09h04

Uma câmera de segurança instalada em uma via de Sorriso (MT) capturou o momento em que a diarista Elizangela de Moraes, de 45 anos, foi atingida por dois disparos à queima-roupa. O crime ocorreu na última sexta-feira (17). As imagens mostram o momento em que dois homens, que estariam identificados como soldados da Polícia Militar, surgem na mesma esquina em que ela e o namorado, Oswaldo Neto, aguardavam um carro pedido por meio de aplicativo de celular.

Neto contou que ele e Elizangela, que ainda está internada no Hospital Regional do município, comemoravam cinco meses de namoro naquela noite. De acordo com o mecânico, eles resolveram se sentar no banco após o motorista do aplicativo pedir para que eles aguardassem na esquina, para facilitar o embarque.

Segundo ele, momentos antes dos disparos, um jovem passou correndo e disse que "dois homens muito loucos" estavam se aproximando do local armados.

"Ficamos prestando atenção na esquina para ver se chegava alguém, quando eles chegaram, pareciam estar bêbados. Não houve diálogo, nada. Eles só chegaram batendo e atirando, foram três tiros, mas o primeiro falhou. Não era nem para eu estar vivo", contou.

As imagens de uma das câmeras de segurança da rua mostram o casal abraçado em um banco quando são surpreendidos pelos PMs. Um deles rapidamente faz o primeiro disparo e continua andando normalmente, enquanto o outro começa a agredir o casal.

Quando o mecânico entra em luta corporal com o PM, o primeiro soldado retorna para a cena e dispara novamente contra Elizangela, que cai no chão imediatamente.

Neto contou que entrou em estado de choque quando entendeu o que, de fato, estava acontecendo com a namorada. "Estou com o braço machucado, não consegui segurar ela. Foi tudo muito rápido, não soube como reagir", disse.

Após os disparos, grande número de pedestres e motociclistas se aglomerou no local. De acordo com a Polícia Civil, ambos foram encaminhados pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Regional de Sorriso.

Foi Neto quem entregou o vídeo da câmera de segurança à polícia. De acordo com ele, Elizangela acabou vendo o vídeo e teve complicações no estado de saúde.

Reconstrução do maxilar

Elizangela deve passar por cirurgia para retirada de uma das balas, que ficou alojada na nuca, na próxima segunda (27). Neto relatou que os próximos dias de recuperação devem ser ainda mais complicados. A diarista teve que tirar parte do osso do maxilar, que ficou completamente quebrado por conta do disparo.

"A bala [alojada na nuca] está a dois centímetros da coluna cervical. Ela está consciente e com coordenação motora. Conversa um pouco, ainda está muito fraca", contou.

Ele também ressaltou que não conhece os soldados, assim como Elizangela. A preocupação da família agora é em fazer Justiça, já que temem que a diarista, que tem dois filhos, um deles de 10 anos, não terá condições financeiras de arcar com os custos de medicação.

"Ela é uma mulher trabalhadora e mãe de família. E agora como fica a situação dela? Quem vai arcar com os remédios, aluguel e comida? Ela vai ter que ficar sem trabalhar por um período até se recuperar", disse.

Prisão em flagrante

Os dois soldados da PM suspeitos de terem cometido o crime não tiveram a identidade divulgada e foram presos em flagrante pela corporação. Eles tiveram a prisão convertida em preventiva após audiência de custódia.

Com base em novas informações e nas imagens das câmeras de segurança, dois procedimentos de natureza demissória serão instaurados contra os soldados, devido à gravidade do crime, conforme a Corregedoria Geral da PM. Segundo o órgão, a arma usada por eles foi apreendida e ambos os suspeitos estavam em horário de folga no momento do crime.

Cotidiano