PUBLICIDADE
Topo

Defensor público cita Djokovic e Hitler para criticar vacina obrigatória

18/01/2022 14h39

O defensor público Jovino Bento Júnior gerou revolta durante a reunião do (CSDPU) Conselho Superior da Defensoria Pública da União, realizada na última sexta-feira(14), quando fez menções ao tenista sérvio Novak Djokovic e ao líder nazista Adolf Hitler, para criticar a obrigatoriedade da vacinação contra o coronavírus.

Na ocasião, o CSDPU se reuniu para decidir sobre a instituição da exigência da vacinação para ter acesso às unidades da (DPU) Defensoria Pública da União, proposta da qual Jovino se mostrou contra, e citou como exemplo a Austrália, que recentemente vetou a entrada de Djokovic no torneio de tênis Australian Open, devido ao fato de o atleta se recusar a receber o imunizante contra o coronavírus.

Para Bento Júnior, a Austrália agiu de forma pior que Hitler ao não permitir a participação do tenista, pois o líder nazista não expulsou o atleta negro Jesse Owends, nas Olímpiadas de Berlim em 1935, quando ele ganhou quatro medalhas de ouro.