Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2016/02/12/papa-em-cuba-e-no-mexico.htm
  • totalImagens: 14
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160212131904
    • Papa Francisco [71407];
    • Cuba [5730];
    • Igreja Ortodoxa Russa [59356];
Fotos

12.fev.2016 - O papa Francisco, chefe da Igreja Católica Romana, se reúne nesta sexta-feira (12) com o patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill (Cirilo). Esse será o primeiro encontro entre os líderes de dois dos principais ramos do cristianismo desde sua separação, no ano de 1054 Alberto Pizzoli/Louisa Gouliamaki/AFP Mais

12.fev.2016 - O encontro foi marcado, mas não ocorrerá nem em Roma nem em Moscou, e sim em Havana (Cuba). Eles devem conversar durante duas horas em uma sala de reuniões do aeroporto internacional José Martí. Na imagem, vendedor aguarda turistas com bandeiras de Cuba e do Vaticano Alexandre Meneghini/Reuters Mais

12.fev.2016 - Nos últimos anos, as tentativas de aproximar as duas igrejas foram dificultadas pela desconfiança mútua. Os ortodoxos se ressentem, entre outras coisas, da suposta expansão do catolicismo em áreas que antes faziam parte da União Soviética. O interesse de Francisco no encontro era sabido desde novembro de 2014, quando, regressando de uma viagem a Istambul, ele revelou que havia falado com Kirill por telefone e dito: "Irei onde você quiser. Chame que eu vou". Na imagem, o papa se prepara para embarcar ruo a Cuba Tony Gentile/Reuters Mais

11.fev.2016 - A unidade do cristianismo não ocorrerá de um dia para o outro. Mas o encontro surge como uma tentativa de iniciar um processo que exigirá concessões de todas as partes. Do ponto de vista católico, a aproximação é parte da agenda de reformas do papa Francisco. Entre elas está não deixar que a primazia papal seja obstáculo para a unidade da Igreja. Para a Igreja Ortodoxa o problema é inverso, devido à falta de uma liderança clara. Há 50 anos tenta-se convocar um sínodo, uma assembleia de bispos - mas não há uma autoridade central para convocá-lo. Na imagem, o presidente de Cuba, Raúl Castro (esq), recebe o patriarca russo, Kirill, em Havana Yamil Lage/AFP Mais

1.fev.2009 - Em 1054, o papa de Roma e o patriarca de Constantinopla se excomungaram mutuamente, dando início ao que se conhece como o grande cisma do cristianismo - que persiste até hoje. Mesmo antes disso perdurava um distanciamento cultural. Na Igreja do Ocidente se falava o latim, enquanto no Oriente bizantino prevalecia a cultura helenística grega. Além disso havia grandes diferenças doutrinárias, com sobre a natureza do Espírito Santo. Na imagem, o Kirill participa de uma cerimônia religiosa em Moscou Alexander Zemlianichenko/AP Mais

6.2.2016 - Outra diferença fundamental é o modo como as duas igrejas entendem a função de seu mandatário. Na Igreja Católica o papa é a máxima figura de autoridade. Já a Igreja Ortodoxa está dividida em patriarcados entre os quais existe uma igualdade. O de Istambul, com 10 mil fiéis, tem certa preeminência, mas não possui jurisdição sobre toda a Igreja Ortodoxa. O de Moscou tem influência sobre até 200 milhões de fiéis. Calcula-se que a Igreja Católica tenha 1,2 bilhão de fiéis. Na imagem, o Papa Francisco reza uma missa em frente à Basílica de São Pedro, no Vaticano EFE Mais

8.fev.2016 - Além disso, a Igreja Ortodoxa Russa sempre esteve vinculada com o poder, seja com o imperador, com o czar ou com o Partido Comunista. Atualmente, desde 2009, o patriarca Kirill mantém uma relação estreita com Vladimir Putin, com quem o religioso se encontrou no último dia 8 Yana Lapikova/Sputnik Government Pool Photo/AP Mais

12.fev.2016 - Na imagem, o presidente de Cuba, Raúl Castro (esq), recebe o patriarca russo, Kirill, em Havana. O porta-voz do patriarcado de Moscou da Igreja Ortodoxa Russa, Vakhtang Kipshidze, afirmou que a ilha é "território neutro", posição compartilhada pelo Vaticano Ismael Francisco/Cubadebate/AP Mais

12.fev.2016 - Para analistas, Cuba é uma boa escolha por ser amigável com a Igreja Católica - apesar de ateia, a ilha historicamente foi um país católico -, e também por ter sido o aliado mais próximo de Moscou no continente americano além de distanciar os dos líderes da Europa, que sempre influenciou a história das duas igrejas Reuters Mais

12.fev.2016 - No voo para Cuba, antes de ir ao México, o papa Francisco ganhou um sombreiro -- chapéu típico mexicano. Em Havana, ele se encontrará com o patriarca russo Kirill. Será a primeira reunião entre os máximos líderes das igrejas católica e ortodoxa em quase mil anos de cisão Alessandro Di Meo/Reuters Mais

12.fev.2016 - O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, deposita flores no túmulo no herói cubano José Martí. Mais tarde nesta sexta (12), ele se encontra com o papa Francisco, na primeira reunião entre os máximos líderes das igrejas católica e ortodoxa em quase mil anos de cisão Alejandro Ernesto/EFE Mais

12.fev.2016 - O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, encontra o papa Francisco, líder da Igreja Católica, no aeroporto José Martí, em Havana. O encontro entre os dois em Cuba é o primeiro em quase mil anos de cisão entre as Igrejas Ismael Francisco/Cubadebate via AP Mais

12.fev.2016 - O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, encontra o papa Francisco, líder da Igreja Católica, no aeroporto José Martí, em Havana. O encontro entre os dois em Cuba é o primeiro em quase mil anos de cisão entre as Igrejas Adalberto Roque/AFP Mais

12.fev.2016 - O patriarca da Igreja Ortodoxa Russa, Kirill, encontra o papa Francisco, líder da Igreja Católica, no aeroporto José Martí, em Havana. O encontro entre os dois em Cuba é o primeiro em quase mil anos de cisão entre as Igrejas Adalberto Roque/AFP Mais

Papa e patriarca russo se encontram pela primeira em quase mil anos

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos