Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2017/01/16/doze-anos-apos-tragedia-moradores-ainda-esperam-indenizacao-na-pb.htm
  • totalImagens: 12
  • fotoInicial: 8
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20170116040000
    • Notícias [35976];
Fotos

4.jan.2017 - Marco na estrada indica a entrada para a cidade de Alagoa Grande (PB), onde nasceu o cantor e compositor Jackson do Pandeiro. Há 12 anos, a barragem de Camará se rompeu e inundou a cidade e outros quatro municípios do interior da Paraíba Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - Doze anos após a tragédia, esta casa na cidade de Alagoa Grande (PB) ainda tem marcas da inundação Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - A aposentada Nilza Ferreira da Silva, 73, segura os únicos documentos que conseguiu salvar após a inundação que destruiu sua casa em 2004. "Tudo o que me sobrou foram os documentos, o resto foi perdido" Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2016 - A casa de Dona Nilza foi reconstruída pelo Estado, mas ela é menor do que a antiga, que foi destruída. "Tive de ampliar e melhorar com o meu próprio dinheiro", conta Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - Dona Nilza ainda espera a indenização por danos morais e materiais. Tramitam na Justiça mais de 400 processos por danos causados pelo rompimento da barragem Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2016 - A aposentada Marli Moura, 68, também perdeu a casa com o rompimento da barragem. Seu marido havia sofrido um AVC na época da tragédia e teve dificuldades em deixar o imóvel durante a inundação Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - Dona Marli mostra foto de Lik, o cachorro que perdeu na inundação. O animal não conseguiu deixar a casa quando a lama invadiu os cômodos Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - "A água atingiu dois metros. Nossa sorte foi que saímos de imediato. Senão, teríamos morrido afogados. Infelizmente perdi a casa e o cachorro", contou, chorando, dona Marli Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - Dona Marli mostra o velho fogão que 'sobreviveu' à tragédia. Ela tem esperança de comprar um modelo novo quando receber a indenização Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - O aposentado José Cavalcanti Sobrinho, 70, guardava mercadorias em um quarto para vender na feira. Com o rompimento da barragem, perdeu 12 caixas de cajá e pencas de banana Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - A antiga balança que seu José usa até hoje foi o único objeto que ele conseguiu salvar da inundação de 2004 Assuero Lima/UOL Mais

4.jan.2017 - José acredita que o contato prolongado com a lama resultou em uma micose no pé que durou anos para cicatrizar. "Foi uma coisa muito triste para nós. Até hoje eu lembro do povo chorando, das casas destruídas", conta. Seu José é um dos poucos atingidos pela barragem que não processou o governo do Estado. Assuero Lima/UOL Mais

Doze anos após tragédia, moradores ainda esperam indenização na PB

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos